This content is not available in your region

Contingente militar americano reforça presença da NATO no Mar Negro

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Contingente militar americano reforça presença da NATO no Mar Negro
Direitos de autor  Euronews

Já chegou o primeiro destacamento militar de soldados norte-americanos à Roménia para reforçar a presença da NATO no Mar Negro, face à hipotética ameaça de uma invasão russa da Ucrânia. A receber os soldados estavam o Ministro romeno da Defesa e o Secretário-geral da NATO.

Jens Stoltenberg afirmou: "Estamos empenhados no diálogo e em encontrar uma solução política. Reiterei o meu convite à Rússia para se reunir novamente no Conselho NATO/Rússia o mais rapidamente possível para abordar as questões cruciais para a segurança europeia, incluindo a transparência na redução de riscos e o controlo do armamento".

Reiterei o meu convite à Rússia para se reunir novamente no Conselho NATO/Rússia o mais rapidamente possível
Jens Stoltenberg
Secretário-geral da NATO

Estas tropas vêm de uma base americana na Alemanha, ainda que o chanceler alemão, Olaf Scholz ,continue a insistir na diplomacia para resolver a crise.

"Irei a Kiev e a Moscovo na próxima semana, tudo para garantir que conseguimos exatamente isso: assegurar a paz na Europa - e isso vale todos os esforços. No entanto, as crises dos últimos anos também demonstraram como a União Europeia, por exemplo, é vulnerável - mais uma razão para reforçar a Europa", disse Scholz no Bundestag.

Um tom bem diferente da comunicação alarmante da Casa Branca e em contraste com as maciças concentrações de soldados e arsenal militar da Rússia ao longo das fronteiras ucranianas, onde já estarão cerca de 100 mil efetivos do exército russo.

Sobre o contingente que esta sexta-feira chegou à Roménia, o correspondente da Euronews, Claudiu Popa, explica: "A partir de agora, as novas tropas americanas chamadas Task Force Cougar vão treinar com o exército romeno. O objetivo dos exercícios militares é aumentar o respeito mútuo e a confiança entre os exércitos".