This content is not available in your region

El Salvador sob estado de emergência para controlar a violência

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Decretado Estado de Emergência em El Salvador devido à violência
Decretado Estado de Emergência em El Salvador devido à violência   -   Direitos de autor  HANDOUT/AFP

Face à explosão da violência dos gangues, o congresso de El Salvador decretou o estado de emergência, que suspende os direitos constitucionais no país. Em dois dias foram mortas 76 pessoas.

Numa mensagem no Twitter, o presidente Nayib Bukele felicitou-se pelo facto de a assembleia legislativa, com uma maioria pró-governamental, ter aprovado a medida com 67 votos a favor, de um total de 84 deputados.

"Tudo dentro do quadro constitucional", escreveu. "Nada a alegar contra"

Direitos constitucionais como a liberdade de associação, o direito de defesa ou a inviolabilidade da correspondência e das telecomunicações são suspensos em El Salvador por 30 dias.

Além disso, o período de prisão preventiva é alargado de 72 horas para 15 dias.

A onda de violência é atribuída à quadrilha Mara Salvatrucha, um dos gangues mais perigosos do país.

O Mara Salvatrucha, e outros gangues, vivem principalmente do tráfico de droga e extorsão contam 70.000 membros em El Salvador, dos quais 17 mil estão detidos.

Tal como o seu predecessor, Bukele declarou "guerra aos gangues".

Este cenário é um golpe para o governo do presidente salvadorenho, cujo Plano de Controlo Territorial tinha levado à queda significativa dos homicídios nos últimos anos.

No mesmo dia em que a assembleia aprovou o estado de emegência, o presidente assinou o decreto e fê-lo publicar, com entrada imediata em vigor.