Arménia e Azerbaijão prontos para conversar sobre Nagorno-Karabakh

Euronews
Euronews Direitos de autor AP/The Associated Press
De  Maria Yeghiazaryan com Maria Barradas
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Arménia e o Azerbaijão dizem-se prontos para encetar conversações de paz para Nagorno-Karbakh, na próxima semana, em Bruxelas

PUBLICIDADE

Os líderes da Arménia e do Azerbaijão concordaram em iniciar novas conversações de paz, sobre Nagorno Karabakh, na próxima semana, em Bruxelas.

Os confrontos entre as forças dos dois países foram retomados e há observadores que acreditam que, no terreno, se aproveita o facto de a Rússia estar envolvida na guerra na Ucrânia.

Erevan e Moscovo acusam Baku de violar o cessar-fogo e ter tomado a aldeia de Parukh, numa área policiada pelas forças russas, testando a sua capacidade operacional, mas o Azerbaijão diz que foi a Rússia que "não respeitou a sua integridade territorial"

Uma residente arménia, da aldeia de Khramort conta à Euronews: "O inimigo veio e tentou entrar na nossa aldeia. Primeiro, pediram-nos para sair da área, através de altifalantes, dizendo: "Estão no território do Azerbaijão, se pensam na vida dos vossos filhos, obedeçam às nossas leis, ou abandonem este território". Ouvimos a mesma coisa todos os dias".

Segundo o ministério da Defesa russo, as forças azerbaijanas já se retiraram, mas Baku nega, dizendo que os seus soldados foram destacados para o que considera ser o seu território.

A Arménia apelou à Rússia para parar as investidas do Azerbaijão alegando que a população arménia está a ser "aterrorizada" numa operação que descreve como um "esforço de limpeza étnica".

Os arménios preocupam-se com a capacidade das forças russas para manter o cessar-fogo. Os meios de comunicação do Azerbaijão afirmam que partes do contigente russo partiram para a Ucrânia. Moscovo nega e diz que a sua força de manutenção da paz está a tomar medidas para reduzir as tensões.

As populações reclamam ajuda. Uma mulher diz: "Só Deus sabe o que estas pessoas viram durante a guerra de 2020. Bem, se ninguém se preocupa connosco agora... Deve haver alguém que pense em nós, que tenha pena destas pessoas, deve haver paz. Todos nós queremos paz. Mas, quem pode trazer a paz?"

Entre acusações mútuas, tanto a Arménia como o Azerbaijão afirmam estar prontos a encetar negociações para resolver o conflito. As conversações são mediadas pela UE, mas a Rússia já se mostrou empenhada em ajudar a alcançar qualquer acordo de paz.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cessar-fogo entre Arménia e Azerbaijão

Arménia e Azerbeijão discutem a paz no Nagorno-Karabah

Parlamento Europeu aprova resolução contra o Azerbaijão e pede sanções contra Baku