This content is not available in your region

Militares em Mariupol pedem ajuda para sair da cidade

Access to the comments Comentários
De  euronews  com AFP
euronews_icons_loading
AFP
AFP   -   Direitos de autor  AFP

O Exército ucraniano pediu aos líderes internacionais para ajudar no resgate de militares e civis que estão na Fábrica de Azovstal, em Mariupol, enquanto estão vivos.

O pedido foi gravado em vídeo por um Serhiy Volyna, comandante da Marinha da Ucrânia. O militar fala de um cerco das tropas russas. "Talvez estejamos a enfrentar os nossos últimos dias, senão horas", diz.

"Pedimos que nos levem para um lugar seguro no território de um outro país."
Serhiy Volyna
Comandante da Marinha da Ucrânia

"O inimigo está a superar-nos (...) Tem vantagem aérea, na artilharia, nas forças em terra, nos equipamentos e tanques.", conta o Serhiy Volyna, que está na Fábrica de Azovstal, onde diz, "além de militares, também há civis, que foram vítimas desta guerra".

"Apelamos e imploramos a todos os líderes mundiais para nos ajudarem. Pedimos que usem o procedimento de extração e nos levem para o território de um outro Estado.", pede. "Todos nós, batalhão militar de soldados Mariupol, mais de 500 combatentes feridos e centenas de civis, incluindo mulheres e crianças pedimos que nos levem para um lugar seguro no território de um outro país", pede, agradecendo no fim.

Mariupol é a cidade mais destruída da Ucrânia. Até agora, as tropas ucranianas têm resistido à ofensiva russa.