This content is not available in your region

A cultura do cavalo árabe no Qatar

De  euronews
euronews_icons_loading
A cultura do cavalo árabe no Qatar
Direitos de autor  euronews

Durante milhares de anos, os cavalos árabes viveram, lado a lado, com os beduínos nómadas.

O cavalo árabe é uma das raças mais antigas do mundo. Sobreviveu às duras condições do deserto e, ao longo de um processo evolutivo, desenvolveu capacidades pulmonares execionais e uma enorme resistência.

O Festival Internacional do Cavalo Árabe Katara reúne alguns dos cavalos mais premiados a nível nacional e internacional. Os juízes do evento avaliam o trote dos cavalos, em termos de forma e graciosidade, e a relação entre o animal e o cavaleiro.

“Não é apenas competição, é algo que faz parte da nossa cultura. Está presente na poesia, na história e nas histórias. Foi um processo que levou mais de 1400 anos. É uma história que faz parte da nossa cultura. E é por isso que adoramos os cavalos árabes”, disse à euronews Khalid Abdulrahman Al-Sayed, Diretor de Eventos e Assuntos Culturais, do Festival Katara.

O Centro Equestre Al Shaqab

O centro equestre Al Shaqab, no Qatar, alberga 700 cavalos. Os treinadores vêm dos quatro cantos do mundo e são especializados em vários domínios.

“Queria partilhar o conhecimento que adquiri ao longo dos anos quando competia e treinava com cavaleiros olímpicos na Europa. Queria ajudar as gerações mais jovens a atingir o nível que desejam. Ensino um pouco de dressage porque é a base do salto de obstáculos, mas sou especializada em salto de obstáculos. O treinador é um elemento muito importante na carreira de um cavaleiro porque acredito que ele não é apenas um treinador de equitação. Um treinador deve apoiar o cavaleiro, a nível psicológico e físico. A geração mais jovem, em particular, precisa de ser apoiada para crescer neste desporto de forma correta”, contou Cyrine Cherif, treinadora em Al Shaqab.

"O cavalo ensinou-me muitas coisas"

Aos dezasseis anos, Abdulrahman Eisa Al Bukhari já venceu alguns dos prémios mais cobiçados do mundo. “O cavalo ensinou-me muitas coisas na minha vida. Ensinou-me a ser uma pessoa independente, a tomar as decisões corretas na altura certa o que me ajudou como pessoa e como cavaleiro. E a minha última conquista foi quando venci o meu primeiro Sword Championship. Obtive o primeiro lugar no primeiro dia e no segundo dia. Foi a minha melhor conquista até agora. Gostaria de encorajar os novos cavaleiros a continuarem neste desporto e a desenvolverem as suas capacidades porque se vão divertir e aprender muitas coisas”, disse à euronews Abdulrahman Eisa Al Bukhari que é originário de uma família de cavaleiros.

Partilha de conhecimentos com a comunidade

O centro possui um departamento dedicado à criação de cavalos e aos espetáculos equestres.

“Os cavalos árabes fazem parte da nossa cultura e da nossa herança. A ideia principal quando abrimos o centro Al Shaqab, em 1992, era trazer os cavalos árabes de volta à pátria e preservar os cavalos árabes. Felizmente, desde então, o centro Al Shaqab tem conseguido preservar os cavalos árabes, e já criou mais de sete cavalos campeões mundiais", contou à euronews Khalid Al Jehani, diretor do Departamento de Criação de Cavalos e de Espectáculos do centro equestre do Qatar.

“O centro Al Shaqab começou por ter cavalos árabes e depois passou a ter uma academia própria de equitação em 1995. Em 2005, o centro associou-se à Fundação Qatar. A partir daí o centro expandiu-se e começou não só a preservar os cavalos árabes e a dar lições de equitação, mas passou também a fazer um trabalho de partilha de conhecimentos com a comunidade" acrescentou o responsável.