EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Flanco oriental da NATO quer reforço

Reunião decorreu em Bucareste, Roménia
Reunião decorreu em Bucareste, Roménia Direitos de autor Andreea Alexandru/Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Andreea Alexandru/Associated Press. All rights reserved.
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Países do flanco leste da NATO querem que Aliança Atlântica reforce presença na região, em especial no Mar Negro por causa das ameaças da Rússia

PUBLICIDADE

Os nove países do flanco oriental da NATO querem ver reforçada a presença da Aliança na região.

Reunidos em Bucareste os líderes da Roménia, Polónia, Estónia, Letónia, Lituânia, Chéquia, Eslováquia, Hungria e Bulgária anunciaram que vão pedir que a NATO eleve à categoria de batalhão os grupos de combate que já estão colocados no flanco leste, o que significaria aumentar o número total de militares de cada um dos quatro grupos de 1.000 para 3.000.

O presidente romeno, Klaus Iohannis sublinha que pretendem uma "presença consolidada, unida, coerente, robusta e sustentável da NATO no flanco oriental, especialmente no Mar Negro, o mais exposto às ameaças russas".

O homólogo polaco, Andrzej Duda, completa que querem assegurar que a presença que existe hoje na região seja reforçada e alargada a países "como a Bulgária, Hungria e Eslováquia". Duda afirma que o objetivo é transformar essa presença numa "defesa avançada reforçada".

As conclusões da reunião do chamado B-9 vão ser discutidas na cimeira da NATO, agendada para 29 e 30 de junho em Madrid, Espanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os 25 anos do fim da Guerra Fria

Festival das Tulipas na Roménia, uma tradição com mais de meio século

Mansão do rei Carlos III na Roménia reabriu ao público