EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Ucrânia faz maratona diplomática para ter apoio na União Europeia

Mulher com bandeira ucraniana, na Praça da Independência, em Kiev, Ucrânia
Mulher com bandeira ucraniana, na Praça da Independência, em Kiev, Ucrânia Direitos de autor Natacha Pisarenko/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Natacha Pisarenko/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente Volodymyr Zelenskyy tem estado em contacto com vários líderes europeus, para assegurar apoio na candidatura da Ucrânia à adesão à União Europeia, no próximo Conselho Europeu.

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro luxemburguês, Xavier Bettel, encontrou-se, esta terça-feira, com Volodymyr Zelenskyy, na sequência de um convite do presidente ucraniano.

Após uma visita a Irpin, Borodianka e Bucha, cidades destruídas pela guerra, Bettel esteve em reuniões bilaterais, onde foram discutidas medidas de prevenção de uma crise alimentar. Do encontro saiu também a garantia de apoio do Luxemburgo à candidatura de adesão da Ucrânia à União Europeia.

Mas a dois dias da cimeira do Conselho Europeu, que começa esta quinta-feira, Zelenskyy não se ficou pela solidariedade luxemburguesa. 

No Twitter, o chefe de Estado ucraniano disse ter estado à conversa com város líderes europeus. A maratona diplomática incluiu o primeiro-ministro português, António Costa, que, de acordo com o presidente, concordou em "usar a experiência de Portugal na aproximação à União Europeia".

EUA querem levar crimes de guerra a tribunal

Ao rol de visitas diplomáticas não anunciadas juntou-se ainda a do procurador-geral dos Estados Unidos da América (EUA), Merrick Garland, que se encontrou, esta terça-feira, na fronteira com a Polónia, com a homóloga ucraniana, Iryna Venediktova, para abordarem os esforços internacionais na investigação de crimes de guerra cometidos pela Rússia na Ucrânia.

Garland anunciou ainda a criação de uma equipa para responsabilização de crimes de guerra, que vai investigar agressões no território, nomeadamente a jornalistas norte-americanos

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Estado da União": energia e futuro da Ucrânia na UE

Bruxelas recomenda atribuição de estatuto de candidata à Ucrânia

Líderes europeus demonstram apoio à Ucrânia durante encontro em Kiev