This content is not available in your region

Kiev retira tropas de Lysychansk que já é controlada pela Rússia

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Lusa, AP
euronews_icons_loading
AP
AP   -   Direitos de autor  Nariman El-Mofty/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

As tropas ucranianas abandonaram Lysychansk, no leste da Ucrânia, depois de a Rússia ter anunciado o controlo de toda a cidade. O anúncio foi feito pelo Estado Maior das Forças Armadas da Ucrânia na rede social Facebook.

A decisão foi tomada para "proteger a vida" dos militares ucranianos. Segundo o comunicado, a continuação dos combates pela defesa da cidade teria “consequências fatais”, face à vincada superioridade das forças ocupantes, em termos de artilharia, meios aéreos, sistemas de lançamento de mísseis, munições e pessoal. 

A “vontade e o patriotismo não são suficientes para o êxito” no combate com o exército russo, sendo necessários “recursos materiais e técnicos”, realçou o Estado Maior das Forças Armadas, num apelo indireto ao Ocidente para acelerar o fornecimento de armas a Kiev.

A cidade estratégica era o último reduto de Kiev na região de Luhansk. Foi atacada durante semanas seguidas, com a ajuda de batalhões chechenos, aliados de Vladimir Putin. É mais uma vitória para a Rússia, numa guerra que dura há meses.

A Ucrânia continua a pedir ajuda militar internacional. Ajuda prometida pela Austrália, este domingo, aquando a visita do primeiro-ministro australiano a Kiev.

No fim do encontro, Zelenskyy tinha admitido que Lysychansk era um dos pontos fracos da defesa militar. "Existe o risco de que a região de Luhansk seja completamente ocupada.", afirmou o presidente da Ucrânia. 

Em menos de 24 horas depois desta declaração, toda a região de Luhansk ficou nas mãos de Putin.

Antes do encontro com o presidente ucraniano, o primeiro-ministro da Austrália visitou Irpin, uma das cidades mais devastadas pela guerra. O chefe de governo prometeu também a Zelenskyy mais sanções económicas à Rússia.