EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Agravaram-se em julho os incêndios na Amazónia brasileira

Área ardida continua a aumentar na Amzónia brasileira
Área ardida continua a aumentar na Amzónia brasileira Direitos de autor AP Photo/Leo Correa/Arquivo
Direitos de autor AP Photo/Leo Correa/Arquivo
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os incêndios na Amazónia brasileira aumentaram 8% no mês de julho, relativamente a julho de 2021, e 13% nos primeiros sete meses de 2022

PUBLICIDADE

Os incêndios florestais na Amazónia brasileira aumentaram 8% em julho, relativamente a julho de 2021 e 13% nos sete primeiros meses de 2022. 

Desde o início do ano, os satélites do Instituto Nacional de Investigação Espacial (INPE) detetaram 12.906 incêndios, na sua maioria ateados por agricultores e especuladores que, de acordo com especialistas, limpam terras para a agricultura.

Desde que Jair Bolsonaro tomou posse como presidente do Brasil em 2019, a desflorestação média anual da Amazónia aumentou 75%.

Julho é tipicamente o início da "época amazónica de incêndios". Este ano, a maioria dos fogos ocorreu na mesma altura dos grandes incêndios na Califórnia,e na Europa, onde as temperaturas bateram recordes.

"É apenas o início da estação seca amazónica, e já o o número de incêndios florestais criminosos infelizmente explode", disse à imprensa brasileira, Romulo Batista do Greenpeace Brasil.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Bloco da latinha": este desfile de Carnaval ouve-se muito antes de se ver

Desastre ambiental no sul do Brasil

Fogos na Amazónia tornam Manaus irrespirável