This content is not available in your region

Luz verde da ONU para discurso virtual de Zelenskyy

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Vala comum perto de Izyum
Vala comum perto de Izyum   -   Direitos de autor  AP Photo/Evgeniy Maloletka

Apesar da recusa da Rússia, a próxima sessão de alto nível da Organização das Nações Unidas vai contar com um discurso pré-gravado de Volodymyr Zelenskyy.

Esta sexta-feira, o presidente ucraniano voltou a acusar a Rússia de "assassínios" e "torturas", depois da descoberta de centenas de cadáveres enterrados numa vala comum perto de Izyum. Numa declaração divulgada nas redes sociais, Zelenskyy disse que o mundo deve ver o que o exército russo deixou para trás. “Crianças e adultos. Civis e militares - torturados, alvejados, mortos por bombardeamentos. Famílias inteiras enterradas”. Para o presidente, “hoje há provas de outras atrocidades cometidas durante a ocupação russa”.

O chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, falou em “atrocidades” cometidas perto de Izyum e reiterou o apoio do bloco à luta da Ucrânia. 

Os Estados Unidos assumiram a mesma posição. Segundo o porta-voz do Conselho Nacional de Segurança, foram identificados mais de 440 corpos, incluindo civis, uma situação “horrível e repugnante, que está de acordo com o tipo de depravação e brutalidade com que as forças russas têm processado a guerra contra a Ucrânia e o povo ucraniano”.

A descoberta da vala comum perto da cidade de Izyum lembrou os massacres de Bucha. Muitos dos corpos têm as mãos atadas, e muitos outros mostram sinais de tortura.

As autoridades ucranianas ainda estão a trabalhar para identificar todas as vítimas.