EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Alemanha já tem planos para travar o impacto dos preços do gás

Cabos de distribuição elétrica na Alemanha
Cabos de distribuição elétrica na Alemanha Direitos de autor Matthias Schrader/Copyright 2019 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Matthias Schrader/Copyright 2019 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um plano para a indústria, outro para as famílias e pequenas e médias empresas, implementado por fases, com redução de preços de uma parte do consumo

PUBLICIDADE

A Alemanha vai implementar um plano faseado para travar o impacto dos preços do gás nos orçamentos das famílias e das empresas.

A proposta é de uma comissão de peritos que o governo mandatou para encontrar soluções e deverá começar a ser aplicada na indústria em janeiro de 2023.

As empresas passam a pagar um preço fixo de 7 cêntimos por kWh, até ao limite de 70% do consumo que registaram em 2021. Sós os restantes 30% serão pagos aos preços atuais do mercado.

Para as famílias e pequenas e médias empresas o modelo será aplicado entre março de 2023 e abril de 2024, numa base de 12 cêntimos por KWh, até 80% do consumo de 2021.

Para compensar os meses que faltam até março, cada consumidor recebe um pagamento no montante equivalente à fatura de setembro de 2022.

A vantagem do modelo é que baixa os custos e incentiva à poupança de gás, e outras fontes de energia.

"A Alemanha precisa de poupar cerca de 20% do que gasta para evitar a escassez de abastecimento de gás este inverno", diz Veronika Grimm, membro da comissão de peritos.

O plano para travar o impacto dos preços do gás integra-se no pacote de 200 mil milhões de euros que o governo federal alemão vai disponibilizar para ajudar as famílias e as empresas.

Esta "bazuca" energética anunciada por Berlim tem suscitado críticas por parte dos parceiros europeus, que denunciam falta de solidariedade.

A  maior economia da Europa foi duramente atingida pela crise energética que afeta o continente, uma vez que a Rússia reduziu drasticamente o fornecimento de gás, do qual a Alemanha dependia fortemente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Manifestações em Berlim contra aumento do custo de vida

"A culpa é vossa": Putin sobre preços do gás na Europa

Espanha aprova plano para reduzir consumo de gás