Credit Suisse vai suprimir 9 mil postos de trabalho até 2025

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Credit Suisse tem estado envolvido numa série de escândalos
Credit Suisse tem estado envolvido numa série de escândalos   -  Direitos de autor  Steffen Schmidt/AP

O Credit Suisse declarou guerra às perdas e quer recuperar depois de um período tumultuoso.

O banco suíço anunciou, esta quinta-feira, o aumento de capital de cerca de quatro mil milhões de euros (quatro mil milhões de francos suíços).

A medida faz parte de um ambicioso plano de reestruturação que também prevê um travão a fundo nos custos e a saída de nove mil trabalhadores até 2025.

Contas feitas, 2700 pessoas deverão sair até ao final deste ano, o que corresponde a 5% do atual número de funcionários. Até 2025 está prevista uma redução de 9 mil trabalhadores, reduzindo para 43 mil o número de funcionários.

"É muito importante que nos tornemos mais eficientes, que realmente melhoremos os nossos processos de negócios e eliminemos muita duplicação do sistema. Conseguiremos economizar mais de 17% dos custos do grupo. Haverá cortes de empregos, cerca de 9 mil empregos em todo o mundo ao longo de três anos", sublinhou Axel Lehmann, presidente do conselho de administração do Credit Suisse.

O banco anunciou esta quinta-feira prejuízos de cerca de quatro mil milhões de euros, no terceiro trimestre.

Tem estado envolvido numa série de escândalos e dúvidas sobre a viabilidade.

Está para já a salvo graças à entrada do Banco Nacional Saudita, que vai injetar 1500 milhões de euros, passando a ser o maior acionista, com quase 10%.