Centenas de milhares de pessoas sem eletricidade na Polónia

Forte queda de neve na Polónia e Albânia
Forte queda de neve na Polónia e Albânia Direitos de autor Michal Dyjuk/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  Nara Madeira com AFP, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cortes no fornecimento de eletricidade e nas ligações rodoviárias e ferroviárias foram algumas das consequências das intempéries na Polónia e Albânia.

PUBLICIDADE

Na Polónia, cerca de 300.000 pessoas ficaram sem eletricidade devido à forte queda de neve, em particular emRzeszów

As condições das estradas, especialmente no sul do país, eram muito difíceis, aconteceram vários acidentes fatais. As más condições das vias rodoviárias estava a retardar a intervenção nas redes elétricas.

Os bombeiros não tinham mãos a medir para responder às muitas centenas de solicitações.

A queda de neve provocou também atrasos nas ligações ferroviárias.

Cheias e nevões na Albânia

Ao mesmo tempo, uma vasta área da Albânia via-se a braços com inundações. O município de Lezha foi um dos mais afetados.

Muitos hectares de terra permaneciam debaixo de água, no noroeste do país, este sábado, depois do rio Drini e outros rios e riachos mais pequenos terem transbordado.

As autoridades destacaram pessoal militar para as áreas afetadas, para ajudar os residentes.

Estradas foram cortadas, fornecimento de energia elétrica afetado, muitas pessoas foram obrigadas a deixar as suas casas em zonas rurais. A forte queda de neve nas regiões montanhosas estava a dificultar a situação. O nevão com, em alguns casos, 25 centímetros de neve, cortou ligações rodoviárias e deixou isoladas algumas aldeias remotas.

O país tinha já vivido situação semelhante há cerca de um ano. Em novembro de 2022 eram apenas as inundações que não davam tréguas aos albaneses.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Letónia vive piores cheias das últimas décadas

Inundações na Albânia

Balanço de vítimas das cheias agrava-se em Itália