Presidente da Bielorrússia anuncia detenção de "terrorista ucraniano"

Imagem do satélite Maxar de um Beriev A-50 em Machulishchy a 28 de fevereiro
Imagem do satélite Maxar de um Beriev A-50 em Machulishchy a 28 de fevereiro Direitos de autor Satellite image ©2023 Maxar Technologies via AP
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia refuta as insinuações do Presidente da Bielorrússia do envolvimento de Kiev nos alegados eventos em Machulishchy

PUBLICIDADE

O Presidente da Bielorrússia revelou a detenção de um alegado terrorista ucraniano, que estará ligado aos serviços secretos, acrescentou Alexander Lukashenko, e que esteve envolvido com mais dois cúmplices numa tentativa de sabotagem de um avião A-50 na base aérea de Machulishchi, a sul de Minsk, no centro do país.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia refuta as alegações de Lukashenko e nega qualquer envolvimento de Kiev nos supostos eventos ocorridos em Machulishchi.

Esta é, obviamente, outra tentativa de criar uma ameaça artificial da Ucrânia para justificar o apoio deles à agressão da Rússia.
Oleh Nikolenko
Porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros a Ucrânia

O líder bielorrusso disse tratar-se de um russo com passaporte ucraniano, que residiu na Crimeira e tem conhecimentos na áreas das tecnologias informáticas, e que estaria a ser treinado há mais de um mês pelos serviços secretos da Ucrânia e dos Estados Unidos "para cometer atos terroristas" contra a Bielorrússia, numa sabotagem em preparação "há mais de seis meses".

Lukashenko garante terem sido utilizadas "as mais altas tecnologias" e que o estava a ser preparado era "realmente incrível", mas dizendo não poder entrar em detalhes além de que seria uma sabotagem com recurso a um pequeno drone de fabrico chinês, de um modelo que pode ser adquirido na Bielorrússia, mas que teria sido comprado nos Estados Unidos e levado para a Ucrânia.

"Felizmente, o avião não sofreu danos significativos, exceto uns aranhões e um buraco no casco, não impeditivo de funcionar. No entanto, pedimos à Rússia para levar a aeronave e a substituíssem por outra. O que aconteceu", referiu Lukashenko, durante uma cerimónia de entrega de prémios, em Minsk.

Outras fontes • Belta, Interfax UA

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bielorrússia e Irão estreitam laços enquanto mantêm apoio à Rússia

Prisioneiro político bielorrusso morre por alegada falta de cuidados médicos

Lukashenko afirma que Putin não lhe disse nada sobre a guerra com a Ucrânia