EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Protesto põe às escuras obras da Aldeia Olímpica em Paris

Protesto da CGT-Energie em França
Protesto da CGT-Energie em França Direitos de autor GEOFFROY VAN DER HASSELT/AFP or licensors
Direitos de autor GEOFFROY VAN DER HASSELT/AFP or licensors
De  Nara Madeira com AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Eletricidade cortada no local de construção da aldeia olímpica e no Stade de France. Um protesto contra a reforma das pensões em França.

PUBLICIDADE

O abastecimento de eletricidade ao Stade de France e ao local de construção da aldeia olímpica, esteve cortado num protesto contra a reforma das pensões do governo francês. Centenas de ativistas em nome da CGT-Energie ocuparam a central eléctrica de Saint-Denis. Um movimento contra o aumento da idade da reforma para os 64 anos.

O Secretário-geral da CGT-Energie, Cédric Liechti, explicava que se tratou de uma "ação simbólica" porque há "mais de 90% dos trabalhadores e mais de 70% dos franceses" que rejeitam esta contra-reforma que, dizia, "vai pôr o povo francês de joelhos". O responsável sindical acrescentava que o governo se recusa "a ouvir a maioria do povo, recusa-se a aplicar a Democracia". Uma ação "modesta", como os próprio admitia, mas com a qual esperam "obrigar" as autoridades a respeitarem a vontade do povo. 

Estudantes tinham bloqueado, como parte das greves, há alguns dias, o acesso a algumas universidades.

O Presidente francês Emmanuel Macron justifica a mudança como uma forma de manter o sistema de pensões, financeiramente, estável enquanto a população envelhece.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares de pessoas contra a reforma das pensões num protesto com violência

Macron vs o povo: porque é que França resiste à reforma das pensões?

Quinto dia de greve contra a reforma do sistema de pensões em França