EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Censo Oceânico tenta salvar espécies marinhas antes que seja tarde

Cetáceo que deu à costa morto
Cetáceo que deu à costa morto Direitos de autor Wayne Parry/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Wayne Parry/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cientistas e exploradores do mundo inteiro unem esforços, no maior programa da história, para encontrar 100 mil novas espécies marinhas, em dez anos.

PUBLICIDADE

Uma aliança global de cientistas e exploradores começou uma corrida contra o tempo para encontrar pelo menos 100.000 novas espécies marinhas na próxima década, antes que a sobre pesca e o aquecimento global levem populações inteiras à extinção.

A iniciativa, chamada Ocean Census, é liderada pela The Nippon Foundation e pelo instituto de pesquisa marinha do Reino Unido, Nekton.

O professor Alex Rogers, diretor do Ocean Census explica a urgência da ação.

"Estamos numa corrida contra o tempo. Temos o aquecimento global, o oceano está a perder oxigénio, e a acidificar e, como resultado, estamos a perder espécies. Se esse processo continuar, enfrentaremos outra grande extinção no oceano e perderemos grandes faixas da 'árvore da vida' essencialmente.

O "Censo Oceânico" será o maior programa da história para descobrir a vida marinha, embarcando em dezenas de expedições através do oceano global.

Um dos objetivos é estabelecer as bases para uma parceria científica diversificada e inclusiva que abranja o mundo inteiro e crie um legado duradouro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Oceanos fazem bem à saúde, mas sem poluição

Fundação Oceano Azul protege o planeta com expedição em Portugal para salvar oceanos

Futuro dos oceanos posto "nas mãos dos jovens"