EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Trump indiciado no caso dos documentos confidenciais

Trump fez o anúncio através da sua rede social Truth Social.
Trump fez o anúncio através da sua rede social Truth Social. Direitos de autor Andrew Harnik/AP
Direitos de autor Andrew Harnik/AP
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ex-presidente dos EUA acusou democratas de perseguição política.

PUBLICIDADE

Donald Trump diz-se um "homem inocente." O ex-presidente dos EUA anunciou que foi indiciado por acusações relacionadas com documentos confidenciais descobertos no seu resort em Mar-a-Lago, na Flórida, no ano passado.

É chamado a comparecer na próxima terça-feira no Tribunal Federal de Miami e, de acordo com a equipa de defesa, está indiciado por sete crimes federais.

"Sou um homem inocente. Sou uma pessoa inocente. O nosso país está a caminhar para o inferno. É tudo uma farsa. Assim como a Rússia, assim como o arquivo falso era uma farsa. Vimos isso com o relatório Durham e com o relatório Mueller. Foi tudo uma grande farsa. Houve dois impeachments e perderam. Nós ganhamos. E tivemos um tremendo apoio", sublinhou Trump.

Esta é a primeira vez na história dos EUA que um ex-presidente é indiciado por acusações federais, incluindo obstrução da justiça e conspiração, numa investigação relacionada com a retenção de documentos sigilosos.

Trump fez o anúncio através da sua rede social Truth Social, e também denunciou perseguição política, apontando baterias aos democratas.

Em campanha para voltar à Casa Branca, esta é a segunda vez que o republicano enfrenta acusações criminais depois de em março ter sido acusado relativamente à compra do silêncio de uma atriz de filmes pornográficos durante a campanha presidencial de 2016.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo processo judicial contra Donald Trump

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"

Robert de Niro chama "palhaço" a Donald Trump à porta do tribunal