EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Alterações climáticas afetam a saúde: OMS pede plano de ação aos governos

Onda de calor em Pequim esta semana, em que foram registados os dois dias mais quentes da história da humanidade
Onda de calor em Pequim esta semana, em que foram registados os dois dias mais quentes da história da humanidade Direitos de autor Andy Wong/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Andy Wong/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na 7ª Conferência Ministerial sobre Ambiente e Saúde, que decorre em Budapeste, a OMS pede aos governos um plano de ação para evitar os piores efeitos das alterações climáticas na saúde.

PUBLICIDADE

No início desta semana, o Planeta Terra registou os dois dias mais quentes não oficiais de que há registo na história da humanidade.

E, sendo amplamente aceite que isto reflete uma crise de alterações climáticas, está também a causar ansiedade entre os especialistas em saúde. Os sistemas de saúde de todo o mundo estão a enfrentar um aumento de doenças e mortes relacionadas com o calor.

O aumento das temperaturas é uma ameaça para a saúde humana. Esta é uma das razões pelas quais a Organização Mundial de Saúde (OMS) está a realizar a sua 7ª Conferência Ministerial sobre Ambiente e Saúde em Budapeste.

O Diretor Regional da OMS para a Europa, Hans Henri P. Kluge, afirma: "Digo sempre que a crise climática é uma crise de saúde. Está agora a fazer retroceder ou tem potencial para fazer retroceder 50 anos de progresso na saúde pública. Dou um exemplo: há dois dias, o mundo registou a temperatura mais quente de sempre, 17,01 graus Celsius como média global. Na nossa região, no ano passado, assistimos ao verão mais quente, com mais de 20 000 pessoas que morreram desnecessariamente".

A OMS apela aos 46 países da Europa e da Ásia Central, bem como aos ministros e peritos presentes na conferência, que elaborem um plano de ação

 Os governos são chamados a agir para evitar os piores efeitos das alterações climáticas na nossa saúde e no funcionamento dos nossos sistemas de saúde.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Sitzpinklers': Em que países europeus é que os homens se sentam para urinar?

NASA alerta: 2023 pode ser "Muito mais quente do que tudo o que já vimos"

Covid-19: Nova variante EG.5 faz OMS alertar para que sejam mantidas as medidas de vigilância