EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Covid-19: Nova variante EG.5 faz OMS alertar para que sejam mantidas as medidas de vigilância

Covid-19
Covid-19 Direitos de autor Nam Y. Huh/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Nam Y. Huh/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews com AP, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

OMS regista aumento de 80% de casos de Covid-19 a nível mundial. A nova variante EG.5 é uma mutação de Omicron e é semelhante nos efeitos.

PUBLICIDADE

Com outra 'variante de interesse' da Covid-19, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta os países de todo o mundo para não desmantelarem as medidas de vigilância.

A OMS diz que a nova variante EG5 é uma mutação da Omicron e é semelhante nos efeitos.

Dados analisados pela OMS mostram um aumento de 80% nos casos de Covid-19 em todo o mundo de 10 de julho a 6 de agosto, em comparação com os 28 dias anteriores.

“Sabe, nos ganhos que houve em todos os aspetos de vigilância, atendimento clínico, prevenção de infeções, controle, tudo o que fizeram para a Covid-19 é um investimento para o futuro. Portanto, desmantelar esses sistemas é realmente falta de vista," diz Maria Van Kerkhove, consultora MERS/COV da Organização Mundial da Saúde.

A OMS está a monitorar a EG5 desde julho, dado que tem uma taxa de crescimento aumentada. Por apresentar "características que escapam aos anticorpos" e ter uma "vantagem de crescimento", a variante é mais transmissível.

A responsável deixa um alerta:

"Nos meses de inverno, as pessoas passam mais tempo dentro de casa. Mas no verão, as pessoas passam mais tempo dentro de casa por causa do ar condicionado. Esse vírus vai aproveitar-se," explica a especialista.

A variante EG5 está a ser detetada em mais países. Enquanto não há uma indicação mais precisa de quantos casos existem, seja de infeção ou reinfecção, a OMS espera que em alguns países a EG5 se torne dominante. Atualmente, apenas metade dos países do mundo estão realmente a relatar casos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

OMS não recomenda retirada de produtos com adoçante "possívelmente cancerígeno"

Alterações climáticas afetam a saúde: OMS pede plano de ação aos governos

OMS apela à continuação da vacinação contra a Covid-19