EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Cereais no Mar Negro ameaçados pelo Kremlin apesar de cedência da ONU

Navios de exportação de cereais pelo Mar Negro podem ter de parar na segunda-feira
Navios de exportação de cereais pelo Mar Negro podem ter de parar na segunda-feira Direitos de autor AP Photo/Khalil Hamra, Arquivo
Direitos de autor AP Photo/Khalil Hamra, Arquivo
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Atual acordo expira segunda-feira, Turquia alega compromisso com Putin e Guterres ainda aguada resposta do Presidente russo. Enquanto isso...

PUBLICIDADE

A exportação de cereais da Ucrânia e da Rússia pelo Mar Negro volta a estar em risco devido à invasão militar em curso. O atual acordo da Iniciativa dos Cereais do Mar Negro expira segunda-feira e o Kremlin ameaça não o renovar se não vir respeitadas as respetivas exigências.

António Guterres enviou na terça-feira uma proposta ao Presidente da Rússia com algumas cedências, incluindo, avança a Reuters, repor a ligação de uma subsidiária do banco de investimento agrícola russo Rosselkhozbank ao SWIFT, o sistema internacional de pagamentos. O secretário-geral da ONU ainda aguarda a resposta de Putin.

O Presidente da Turquia disse, entretanto, estar sexta-feira ter um acordo com o homólogo russo para prolongar o acordo, mas o Kremlin não o confirma e ameaça travar a iniciativa .

Na cimeira dos países do Sudeste Asiático, ouviu-se o alerta do secretário de Estado dos Estados Unidos da América.

"É essencial que prolonguemos o acordo da Iniciativa dos Cereais do Mar Negro, que a Rússia está uma vez mais a ameaçar bloquear a 18 de julho. Se Moscovo cumprir a ameaça, os países em desenvolvimento, incluindo na região, vão pagar, literalmente com preços mais altos na comida e maior escassez de alimentos", afirmou Antony Blinken, na Indonésia.

Presente na mesma cimeira, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia admitiu as negociações entre Erdogan e Putin para que a exportação de cereais continue independentemente de terceiros, mas Sergey Lavrov não se comprometeu em confirmar um acordo.

Em agosto, Putin tem prevista uma visita à Turquia, mas o atual acordo expira já na segunda-feira e o último carregamento está agora a ser embarcado em Odessa. Depois, os barcos oriundos de portos russos e ucranianos devem voltar a parar e a agravar a crise alimentar mundial.

Outras fontes • AFP, Tass, Anadolu

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comunidade internacional reage ao fim do acordo de cereais

Diplomacia tenta convencer Rússia a prolongar acordo de cereais com Ucrânia

Zelenskyy e Erdogan falaram de guerra e cereais em Istambul