Zelenskyy e Erdogan falaram de guerra e cereais em Istambul

Zelesnkyy com Erdogan em Istambul
Zelesnkyy com Erdogan em Istambul Direitos de autor Serviço de imprensa da presidência da turquia/AFP
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente da Ucrânia cumpre na Turquia a última escala de uma pequena digressão pelo leste da Europa a poucos dias da cimeira da NATO e num dia marcado pelo anúncio dos Estados Unidos

PUBLICIDADE

O futuro imediato do acordo de exportações de cereais da Ucrânia e da Rússia, que expira a 17 de julho, o alargamento da NATO até Kiev e uma fórmula para a paz na Ucrânia foram os temas em destaque na reunião desta sexta-feira entre Volodymyr Zelenskyy e Recep Tayyp Erdogan.

O Presidente da Ucrânia foi recebido pelo homólogo turco em Istambul, última paragem de uma curta digressão de Zelenskyy pelo leste da Europa a recolher apoios para adesão à NATO e a agradecer o apoio concedido à contraofensiva perante a invasão russa em curso.

Ainda em Istambul, Zelenskyy aproveitou para agradecer numa publicação nas redes sociais o novo pacote de ajuda militar anunciado pelos Estados Unidos e no qual se incluem as temidas bombas de fragmentação de uso proibido por 111 países, incluindo Portugal, ao abrigo da convenção sobre Munições de Dispersão.

"Um oportuno, vasto e muito necessário pacote de ajuda defensiva oriundo dos Estados Unidos. Estamos agradecidos ao povo americano e ao Presidente Joseph Biden por estes decisivos passos que colocam a Ucrânia mais perto da vitória sobrw a ditadura", escreveu Zelenskyy.

A expansão das capacidades de defesa da Ucrânia proporcionará novas ferramentas para a desocupação do nosso território e para a aproximação da paz.
Volodymyr Zelenskyy
Presidente da Ucrânia

Antes, e a poucos dias de uma importante cimeira da NATO, o líder ucraniano passou por Bulgária, Chéquia e Eslováquia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo conselho NATO-Ucrânia, novas armas e a adesão: a cimeira de Vilnius promete

UE chega a acordo para usar 500 milhões de euros em munições

Vitória da oposição é sinal de "ingratidão", dizem apoiantes de Erdoğan na Turquia