EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Ucrânia enterra "ás dos ares", o homem que enfrentou o Ocidente pela entrega de F-16 a Kiev

Funeral de reputado piloto ucraniano
Funeral de reputado piloto ucraniano Direitos de autor Efrem Lukatsky/AP Photo
Direitos de autor Efrem Lukatsky/AP Photo
De  Nara Madeira com AFP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Andriy Pilshchykov,, um "ás dos ares", o homem que que pressionou o Ocidente a fornecer jactos F-16 à Ucrânia.

PUBLICIDADE

Dezenas de pessoas juntaram-se, numa igreja católica em Kiev, na terça-feira, para a última homenagem a um respeitado piloto de caça. Andriy Pilshchykov, mais conhecido pelo nome de código Juice, foi o homem que pressionou o Ocidente a fornecer jactos F-16 à Ucrânia.

Estranhamente, Pilshchykov faleceu a 25 de agosto, quando dois jactos militares L-39 colidiram durante um voo de treino na região de Zhytomyr, no norte do país, na semana passada. Um incidente que vitimou dois outros pilotos ucranianos.

A Defesa ucraniana, nas redes sociais, falava "numa perda trágica", a de "três pilotos da Força Aérea Ucraniana". 

Pilshchykov tinha participado numa formação nos EUA e "queria lutar contra a burocracia", explicava à AFP o tenente-coronel na reserva, Oleksandr Dovgal, para que os pilotos ucranianos pudéssem ter "uma formação de pilotos ao estilo americano, sem perdas de tempo, apenas melhorando as nossas capacidades", acrescentava o referido militar.

Sobre o nome de código, Juice, Dovgal contava que lhe foi atribuído pelos soldados norte-americanos "porque ele não bebia álcool, apenas sumo".

De acordo com o porta-voz da Força Aérea, Yuriy Ignat, Pilshchykov era um jovem oficial com "mega conhecimento e mega talento".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia afirma ter atingido pela primeira vez um avião de combate russo Su-57

Ucrânia diz ter abatido bombardeiro russo de longo alcance

Mudança de liderança nas Forças Armadas divide ucranianos