EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Hamas liberta dois reféns israelitas

Cartazes mostram desapericidos após ataque do Hamas em Israel
Cartazes mostram desapericidos após ataque do Hamas em Israel Direitos de autor Petros Karadjias/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Petros Karadjias/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Valérie GauriatEuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Hamas pode estar a tentar retardar entrada do exército israelita na Faixa de Gaza

PUBLICIDADE

(Atualização)

O Hamas libertou dois reféns de nacionalidade israelita e americana. A informação foi confirmada pelo Jerusalem Post. Judith e Natalie Raanan foram entregues à Cruz Vermelha esta sexta-feira. De acordo com fonte próxima das negociações, a libertação deveu-se a razões humanitárias devido à saúde frágil da mãe. Estas libertações podem ser uma forma do Hamas fazer pressão sobre Israel para retardar a entrada do exército hebraico na Faixa de Gaza, adiantou uma das fontes.

(Publicado 20/10/23 às 16:01)

Um dia após o Hamas ter atacado Israel e feito cerca de duas centena de reféns, um grupo de civis organizou-se para dar apoio às famílias dos desaprecidos.

Médicos, advogados, psicólogos e especialistas em comunicação formaram o Fórum dos Reféns e Famílias Desaparecidas e trabalham 24 horas por dia para ajudar quem espera por uma resposta que tarda em chegar.

"Estamos aqui para pedir a todos os governos, a todos os organismos envolvidos, que tragam os nossos familiaresde volta. É um crime injustificável e desumano contra a humanidade manter pessoas inocentes reféns desta forma, sem qualquer informação sobre onde estão e como estão. Há dezenas de pessoas com condições médicas críticas que precisam de medicamentos que lhes salvam a vida e que não os estão a receber", alerta Ophyr Hanan, vice-presidente da organização.

Duas semanas após o atentado, os voluntários criticam a falta de apoio demonstrada pelo governo israelita e pela comunidade internacional às famílias dos reféns.

"O nosso povo não está a receber qualquer tipo de assistência. Implorámos a toda a gente, incluindo a Cruz Vermelha, todas as organizações internacionais e o governo, que prestassem cuidados médicos aos nossos entes queridos. E isso não está a acontecer", critica.

À espera de Yarden

Yarden Roman Gat, tem 35 anos, dupla nacionalidade israelo-alemã e está entre os desaparecidos. O irmão, Liri, mantém acesa a esperança de a rever. 

"Tenho sempre a esperança de que em todas essas entrevistas, haja também grupos de pessoas do hamas a assistir e tudo o que espero é que talvez divulguem um vídeo, mostrando que ela está sã e salva", conta. 

Mas as dúvidas subsistem. "Como é que se diz a uma criança de três anos que a sua avó foi assassinada por "pessoas más" que foram a sua casa? Ela viu isso. Ela compreende. Eu só tenho medo que ela me pergunte: 'Vão fazer o mesmo à minha mãe?'" 

A família conseguiu escapar de carro aos raptores e corria em direção a um bosque, quando Yarden foi apanhada. Foi vista pela última vez, perto de Gaza, a entregar a filha ao marido antes de cair nas mãos do Hamas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Familiares de reféns israelitas manifestam-se contra a guerra

Manifestação: Familiares de reféns israelitas pedem apoio da UE

Ministro israelita das Comunicações ordena a devolução do equipamento de vídeo apreendido à AP