EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Cidade de Gaza está completamente cercada, anuncia Israel

AP
AP Direitos de autor Israel Defense Forces via AP
Direitos de autor Israel Defense Forces via AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Este era um dos objetivos dos exército israelita quando entrou na Faixa de Gaza

PUBLICIDADE

O exército israelita diz que "completou o cerco da cidade de Gaza". Anúncio feito esta quinta-feira, uma semana após o início operação terrestre israelita no território palestiniano.

"Os nossos soldados completaram o cerco da cidade de Gaza, o centro da organização terrorista Hamas", declarou o porta-voz do exército israelita, Daniel Hagari, numa conferência de imprensa.

"O conceito de cessar-fogo não está em cima da mesa", acrescentou o responsável militar.

Movimentações intensificam-se no interior da Faixa de Gaza

O exército israelita e o Hamas envolveram-se em novos combates no norte da Faixa de Gaza.

De acordo com o comunicado das forças israelitas, que divulgaram também um vídeo do que dizem ser operações terrestres no interior do enclave palestiniano, o Hamas disparou mísseis anti-tanque e granadas contra os israelitas, que responderam com artilharia.

 Israel diz que dezenas de membros do Hamas morreram nos últimos combates.

A ONU voltou a condenar os ataques contra civis, um dia depois do bombardeamento do campo de refugiados de Jabalya, que terá feito pelo menos 195 mortos e 777 feridos, e onde prosseguem as buscas de corpos.

Stéphane Dujarric, porta-voz do Secretário-Geral da ONU: "O Secretário-Geral está chocado com a escalada de violência em Gaza, incluindo a morte de palestinianos, incluindo mulheres e crianças, em ataques aéreos israelitas em áreas residenciais do campo de refugiados de Jabaliya, densamente povoado. Todas as partes devem respeitar o direito internacional, o direito humanitário internacional, incluindo os princípios da distinção, da proporcionalidade e da precaução. Condena com a maior veemência qualquer assassínio de civis."

Um novo grupo de estrangeiros e palestinianos com dupla nacionalidade pôde entrar no Egipto esta quinta-feira através da passagem de Rafah. 

Os feridos continuam a chegar aos hospitais do Egito, numa altura em que pelo menos 16 hospitais da Faixa de Gaza estão fora de serviço devido aos bombardeamentos. 

A guerra já matou mais de 9.000 pessoas do lado palestiniano (incluindo 3760 crianças) e feriu mais de 32.000, segundo o último balanço do Hamas. Do lado israelita, há pelo menos 1.400 mortos e 242 sequestrados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Soldados israelitas procuram túneis do Hamas na cidade de Gaza

Incursão de Israel em Gaza aumenta dúvidas sobre futuro da região

Novas imagens das operações do exército israelita em Gaza