Soldados israelitas procuram túneis do Hamas na cidade de Gaza

Agência da ONU acusa Israel de bombardear quatro escolas utilizadas como refúgio
Agência da ONU acusa Israel de bombardear quatro escolas utilizadas como refúgio Direitos de autor Abed Khaled/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Forças israelitas rejeitam totalmente "pausa humanitária" apesar de aparente início de abertura do governo

PUBLICIDADE

Completado o cerco à cidade de Gaza, as forças israelitas centram-se na deteção de redes subterrâneas que possam abrigar combatentes do Hamas e esconder equipamento militar.

As organizações humanitárias alertam para a impossibilidade de fazer chegar ajuda até aqui.

De acordo com os media israelitas, Benjamin Netanyahu não exclui totalmente agora a possibilidade de um cessar-fogo de algumas horas. Mas os militares não demonstram qualquer abertura.

"A questão do cessar-fogo nem sequer está em cima da mesa neste momento. As forças israelitas estão em guerra para desmantelar o Hamas", declarou Daniel Hagari, porta-voz das Forças de Defesa de Israel.

A agência da ONU no terreno (UNRWA) acusa Israel de bombardear, pelo menos, quatro escolas utilizadas como refúgio, matando mais de duas dezenas de pessoas. As imediações do hospital de Al-Quds voltaram a ser alvo de bombas. 

Segundo os responsáveis palestinianos, o balanço de mortos ultrapassa os nove mil e há mais de 22 mil feridos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tensão entre Israel e Hezbollah cresce no sul do Líbano

Cidade de Gaza está completamente cercada, anuncia Israel

ONG acusam Israel de usar munições de fósforo branco