EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Comissão parlamentar turca aprova adesão da Suécia à NATO

Comissão Turca aprova entrada da Suécia na NATO
Comissão Turca aprova entrada da Suécia na NATO Direitos de autor AP Photo/Olivier Matthys
Direitos de autor AP Photo/Olivier Matthys
De  Euronews com agências
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Comissão parlamentar turca aprova adesão da Suécia à NATO

PUBLICIDADE

Um comité parlamentar da Turquia aprovou esta terça-feira a adesão da Suécia à Aliança Atlântica, deixando os nórdicos mais perto de se juntarem à NATO. 

A Turquia é o último membro da NATO, juntamente com a Hungria, a bloquear a adesão da Suécia à NATO, através de sucessivas exigências, mas esta terça-feira a comissão de Negócios Estrangeiros da Assembleia Nacional turca voltou a analisar o tema, tendo-o submetido a votação e dando luz verde aos nórdicos. Será ainda necessária a aprovação final do parlamento para concluir o processo.

A Suécia apresentou o seu pedido de adesão à NATO ao mesmo tempo que a Finlândia - que foi admitida em abril - após o início da guerra russa na Ucrânia.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, opôs-se à adesão sueca desde o início do processo, alegando a conivência de Estocolmo com alguns movimentos curdos que considera terroristas.

A resistência de Erdogan terá sido superada após uma conversa telefónica com o presidente norte-americano, Joe Biden, este mês, após o qual o ministro dos Negócios Estrangeiros turco, Hakan Fidan, começou a admitir uma aceleração do processo de ratificação da adesão sueca.

Ainda assim, Erdogan acrescentou como condição para a luz verde de Ancara a ratificação simultânea pelo Congresso dos EUA da venda de aviões de combate F-16 à Turquia.

Já antes, a Turquia tinha jogado esta 'carta' para tentar obter autorização de aquisição de F-16, de que necessita para modernizar a sua Força Aérea.

O governo norte-americano de Biden não se opõe a esta venda, mas o Congresso bloqueou-a até agora por razões políticas, alegando as tensões com a Grécia, país também membro da NATO de que Ancara se tornou recentemente mais próxima.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Ucrânia será membro da NATO" após a guerra, garante secretário-geral Jens Stoltenberg

Zelenskyy não recebe convite para aderir à NATO mas integração está prometida

Líderes dos rivais regionais Grécia e Turquia reúnem-se para estreitar relações