Milhares dançam e pedem o fim da violência contra mulheres

"One Billion Rising" em Roma
"One Billion Rising" em Roma Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No Dia dos Namorados, campanha "One Billion Rising" lembra uma das violações dos direitos humanos mais generalizadas e devastadoras do mundo.

PUBLICIDADE

No dia 14 de fevereiro, nas ruas e praças de cento e noventa países de todo o mundo, milhares de pessoas dançam e manifestam-se contra a violência sobre mulheres. 

A campanha "One Billion Rising" foi criada em 2013 por Eve Ensler, autora da peça os "Os Monólogos da Vagina”. A organização convida milhões de mulheres a levantarem-se, a dançarem e a ligarem-se em todo o mundo para exigirem o fim desta violência, demonstrando força coletiva e solidariedade global para além de todas as fronteiras.

Para Linda Foster, diretora artística da "One Billion Rising", “aqueles que sofreram violência gostariam de apagar os seus corpos, mas através deste evento alegre e poderoso, dizemos que temos de começar a ouvir os nossos corpos, como parte da solução”.

Este ano, em Itália, foram organizados oitenta eventos por todo o país. Em Roma, participaram vinte bailarinos e cinquenta alunos de um dos liceus da cidade. As cidades austríacas de Viena e Innsbruck organizaram marchas para assinalar a iniciativa.

A One Billion Rising lembra que a violência contra mulheres é uma das violações dos direitos humanos mais generalizados e devastadoras. Estima-se que 35 por cento das mulheres em todo o mundo tenham sido vítimas de violência em algum momento das suas vidas; em alguns países, esta proporção chega a atingir os 70 por cento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Países do G7 ponderam utilizar ativos russos congelados para financiar a Ucrânia

Mil italianos assinam manifesto para que Draghi seja presidente da Comissão Europeia

Itália prepara-se para negociar com Bruxelas termos da trajetória do ajuste fiscal