Nova app ajuda mulheres contra o assédio de rua

A app Umay disponibiliza um mapa dos locais considerados seguros
A app Umay disponibiliza um mapa dos locais considerados seguros Direitos de autor FRFT
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A app Umay foi criada por uma jovem francesa, ela própria vítima de assédio na rua. 81% das mulheres francesas já passaram pela mesma situação.

PUBLICIDADE

Para tentar evitar o pior em casos de assédio de rua, uma jovem francesa criou uma app, chamada Umay, que disponibiliza uma rede de lojas, "lugares seguros", em todo o país, que oferecem apoio a qualquer pessoa que se encontre em perigo.

Explica Pauline Vanderquand, criadaora da app: "Podemos aceder diretamente ao mapa a partir da aplicação. Vemos os locais seguros à nossa volta e clicamos naquele que está mais perto. Há 6.500 locais seguros. Há bares, restaurantes, supermercados, floristas, agentes imobiliários, cabeleireiros, etc".

Pauline, ela própria vítima de assédio de rua, teve a ideia depois de se encontrar em situações complicadas e de falar com outras mulheres que tinham passado por experiências semelhantes.

"Aconteceu-me muitas vezes ser seguida, assobiada, insultada quando não respondia aos avanços, ser vítima de violência. Uma vez fui perseguida com uma faca, porque não respondi aos avanços", conta uma jovem.

81% das mulheres francesas assediadas

Segundo um estudo do instituto de sondagens Ipsos, 81% das mulheres francesas já foram vítimas de assédio sexual em locais públicos.

Um autocolante na montra assinala o estabelecimento como um local seguro para as vítimas. Os funcionários receberam formação para responder a estas situações.

"Temos de ter uma atitude atenciosa e tranquilizadora, mas sem lhes tocar, por exemplo. Foi isso que nos ensinaram. Também é preciso usar as palavras certas. Dizer: "Acreditamos em ti. Fizeste bem em vir aqui. Vieste ao sítio certo", explica um empregado de uma loja.

Em França, um projeto semelhante de rede de lugares seguros, chamado Angela, inspirado num modelo britânico, estava a funcionar há alguns anos, mas não tinha uma app.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eurodeputado Alexis Georgoulis envolvido em alegado caso de assédio

Depardieu enfrenta novas acusações de assédio e agressão sexual

"Slalom" o filme sobre o assédio sexual no desporto