EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Bruxelas revê em alta previsões económicas, com Portugal a crescer 1,6%

Bruxelas revê em alta previsões económicas, com Portugal a crescer 1,6%
Direitos de autor 
De  Isabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Bruxelas reviu em alta as perspetivas de crescimento económico para Portugal em 2015, estimadas agora em 1,6% do PIB. O país está em linha com o resto da União Europeia, que deverá crescer 1,7% no seu

PUBLICIDADE

Bruxelas reviu em alta as perspetivas de crescimento económico para Portugal em 2015, estimadas agora em 1,6% do PIB.

O país está em linha com o resto da União Europeia, que deverá crescer 1,7% no seu conjunto, de acordo com as previsões económicas de inverno, divulgadas esta quinta-feira.

“Claro que é ainda preciso muito trabalho para aumentar o emprego e o investimento, tanto na União como na zona euro. Todos devem fazer bom uso dos instrumentos disponíveis para fortalecer os pilares económicos”, disse disse o comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici.

O novo governo grego de esquerda radical está a tentar renegociar os termos do resgate da troika. Mas Pierre Moscovici insistiu no cumprimento das regras europeias estabelecidas.

“A realidade é que os compromissos feitos pelo governo anterior não foram assumidos só em seu próprio nome, mas em nome de todo o país. É absolutamente normal que os outros parceiros europeus, especialmente os credores, exijam a manutenção desses compromissos”, disse o comissário europeu.

A Comissão Europeia espera um reforço do crescimento económico em 2016, sobretudo se se mantiver a queda do preço do petróleo e a desvalorização do euro.

: Crescimento

: Taxa de desemprego

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado

Riqueza das nações: o fosso cada vez maior entre ricos e pobres na Europa