Mario Draghi pede mais reformas estruturais à zona euro

Mario Draghi pede mais reformas estruturais à zona euro
De  Patricia Cardoso com Lusa, Ansa,
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Por entre elogios a Portugal, o presidente do Banco Central Europeu (BCE) pede aos governos da zona euro para avançarem com as reformas…

PUBLICIDADE

Por entre elogios a Portugal, o presidente do Banco Central Europeu (BCE) pede aos governos da zona euro para avançarem com as reformas estruturais.

Segundo Mario Draghi, “há muitas razões políticas para atrasar as reformas estruturais, mas poucas razões económicas”. “O adiamento pode ter custos demasiado elevados”, estima o líder do BCE.

Mario Draghi of ecb</a> at <a href="https://twitter.com/hashtag/EUBEF2016?src=hash">#EUBEF2016</a> <a href="https://t.co/EgI6GRrkCp">pic.twitter.com/EgI6GRrkCp</a></p>&mdash; EU Economy & Finance (ecfin) 9 de junho de 2016

#Draghi issuing a strong warning against procrastination. #EUBEF2016pic.twitter.com/GeLtz0iKfF

— Maxime Sbaihi (@MxSba) 9 de junho de 2016

Perante os participantes do Fórum Económico de Bruxelas, Draghi apresentou Portugal e Espanha como exemplos: “As reformas implementadas por Portugal durante o programa de ajustamento reduziram a taxa de desemprego em cerca de três pontos percentuais entre 2011-2014. Do mesmo modo, a reforma espanhola do mercado do trabalho foi um factor de apoio ao emprego e ao crescimento”.

Em Portugal, em abril, a taxa de desemprego era de 12%, longe dos 17,8% atingidos em abril de 2013. Para a descida contribuiu em muito a vaga de imigração dos últimos anos, como revela o relatório ““Estatísticas Demográficas 2014”“:https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes&PUBLICACOESpub_boui=139659&PUBLICACOESmodo=2, publicado pelo INE em 2015.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A guerra entre Israel e o Hamas está a afetar a economia israelita

Mercado único europeu coloca objetivos ecológicos e digitais no centro das atenções em 2024

Comissão Europeia revê em baixa previsões de crescimento económico