EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Twitter valoriza em Wall Street na expetativa de ser comprada

Twitter valoriza em Wall Street na expetativa de ser comprada
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com efe, cnbc
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Canal de televisão norte-americano revela "piscadela de olho" da Google e da Salesforce ao "passarinho azul" e bolsa de Nova Iorque reage em alta.

PUBLICIDADE

A eventual venda da Twitter está a valorizar esta sexta-feira a rede social do passarinho azul em Wall Street. O canal de televisão norte-americano CNBC revelou que a Google e a SalesForce estariam entre as várias interessadas na aquisição da rede social das mensagens instantâneas de 140 carateres.

Após a abertura da derradeira sessão da semana da bolsa de Nova Iorque, a cotação da Twitter chegou a valorizar mais de 20 por cento, em contra ciclo com a desvalorização que vinha sofrendo este ano, em que terá perdido quase 187 milhões de dólares.

A Google pode comprar o Twitter? Sim, e as ações estão a disparar https://t.co/KOENV2TvV4pic.twitter.com/B4FG7NKP6I

— Dinheiro Vivo (@dinheiro_vivo) 23 de setembro de 2016

Os investidores da Twitter têm-se revelado descontentes face a esta desvalorização, sobretudo depois de as ações da rede social terem chegado a valer 70 dólares e este ano terem caído para cerca de 20 dólares.

O fundador da empresa em 2006, Jack Dorsey, voltou há alguns meses a ocupar o lugar de conselheiro delegado da administração, mas a rede social continua sem encontrar uma fórmula para atrair mais utilizadores ativos e ultrapassar a fasquia dos cerca de 313 mil em que se mantém. Nem a compra do Periscope ajudou.

A agravar o descontentamento, há ainda um desinteresse dos anunciantes em apostar no Twitter, em benefício de outras redes sociais como o Facebook, o Instagram ou o Snapchat.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O que é que vai ser diferente com a quebra da Bitcoin para metade desta vez?

Quem são as GRANOLAS? Um olhar sobre os "Magnificent Eleven" da Europa

2023: O ano das grandes falências