EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Canadá enaltece comércio com EUA mas sem ignorar UE e Ásia

Canadá enaltece comércio com EUA mas sem ignorar UE e Ásia
Direitos de autor 
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Donald Trump pretende renegociar com canadianos e mexicanos o Acordo de Livre Comércio da América do Norte, mas Justin Trudeau deixa perceber não estar refém do "vizinho" norte-americano.

PUBLICIDADE

O Canadá pretende manter uma boa relação comercial com os Estados Unidos, mas, perante a renegociação do acordo de livre comércio da América do Norte (NAFTA) pedida por Donald Trump, avisam: há outros mercados internacionais importantes que não vão marginalizar como o europeu e, claro, o asiático.

O primeiro-ministro canadiano reconhece a importância do “vizinho” do lado, para onde o país negoceia quase 80 por cento das exportações e sublinha que “milhões de bons empregos da classe média de ambos os lados da fronteira dependem dessa relação comercial próxima”. “E isso tem estado no foco de todas as negociações” com a nova Administração norte-americana.

.EP_Trade</a> aprova <a href="https://twitter.com/hashtag/CETA?src=hash">#CETA</a>, acordo comercial entre <a href="https://twitter.com/hashtag/Uni%C3%A3oEuropeia?src=hash">#UniãoEuropeia</a> e <a href="https://twitter.com/hashtag/Canad%C3%A1?src=hash">#Canadá</a>! Votação em plenário marcada para fevereiro. <a href="https://t.co/WplQTHCNwB">pic.twitter.com/WplQTHCNwB</a></p>&mdash; Parlamento Europeu (PE_Portugal) 24 de janeiro de 2017

Os deputados que compõem a comissão europeia para o comércio externo aprovaram terça-feira, 24 de janeiro, o chamado Acordo Compreensivo de Economia e Comércio (CETA, na sigla inglesa). O documento recebeu 25 votos a favor, 15 contra e uma abstenção, e vai ser agora posto a votação no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, em fevereiro. Fonte: Parlamento Europeu

Apesar desta assumida interdependência comercial com os Estados Unidos, Justin Trudeau, o chefe do governo canadiano, sublinhou, por exemplo, a importância da assinatura do CETA, o acordo comercial com a União Europeia, que abre ao Canadá as portas de um mercado com 500 milhões de consumidores. “Sabemos que intensificar as nossas ligações às economias emergentes da Ásia é outro passo importante para garantir mais emprego e prosperidade para o Canadá. E é isso que vamos continuar a fazer”, acrescentou justin Trudeau.

O primeiro-ministro canadiano sublinhou ainda o facto de as empresas exportadoras, por norma, pagarem melhor que as não exportadoras e com isso justificou a necessidade de diversificação e aumento das possibilidades do comércio externo do país.

O TTP (Parceria Transpacífico) e o CETA, com a União Europeia, revelam-se, por isso, dois dos negócios mais importantes da atualidade para o Canadá.

#CETA: que influência nos países desenvolvidos? Acompanhe as apresentações sobre o tema na EP_Development</a> às 9h00: <a href="https://t.co/mxVF7KzmdH">https://t.co/mxVF7KzmdH</a>. <a href="https://t.co/8eLUlcY7RR">pic.twitter.com/8eLUlcY7RR</a></p>&mdash; Parlamento Europeu (PE_Portugal) 25 de janeiro de 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeiro-ministro canadiano satisfeito com relançamento do oleoduto de Keystone XL

Tratado Transpacífico: Austrália quer China no lugar vago dos EUA

Trump começa a desmantelar legado de Obama no comércio livre