EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Roma revê em alta crescimento económico para este ano

Roma revê em alta crescimento económico para este ano
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Governo espera que Produto Interno Bruto cresça 1,5%, acima de 1,1% estimado em abril.

PUBLICIDADE

O Governo italiano reviu em alta a estimativa de crescimento económico e espera que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresça este ano 1,5%, acima de 1,1% estimado em abril.

O Conselho de Ministros aprovou uma atualização do Documento de Economia e Finanças (DEF), publicado em abril, que prevê referida taxa de crescimento também em 2018 e 2019.

O ministro da Economia, Pier Carlo Padoan, admitiu que “é possível dizer-se que se trata de uma previsão demasiado otimista”, mas assegurou que os números são “totalmente justificados pelas políticas que vão ser aplicadas”.

Défice orçamental deverá ser de 1,6% do PIB

O défice orçamental italiano representará, em 2018, 1,6% do PIB, o que pressupõe uma revisão em alta face aos 1,2% estimados em abril.

Deverá depois descer para 0,9% em 2019 e até ao equilíbrio técnico de 0,2% em 2020.

A dívida pública continuará a descer em 2017 para 131,6% do PIB e para 129,9% do PIB em 2018, segundo o executivo italiano.

O primeiro-ministro Paolo Gentiloni, defendeu que “o programa económico é positivo, com dados de crescimento mais altos e mais estáveis”.

Assegurou que o Governo está consciente de que “o trabalho deve continuar, quer seja através do controlo da despesa pública ou através de reformas”.

Gentiloni admitiu que os dados se devem também às políticas do antecessor, o ex-primeiro-ministro Matteo Renzi.

Com Lusa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comissário europeu para a Economia sem arrependimentos apesar da reação negativa ao Pacto Ecológico

Comissão Europeia prevê descida da inflação apesar do aumento do preço do petróleo

Habitação na Europa: é maior o número de proprietários ou de arrendatários?