EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Itália defende proposta orçamental

Itália defende proposta orçamental
Direitos de autor 
De  Joao Duarte Ferreira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Comissão Europeia pronuncia-se na terça-feira

PUBLICIDADE

A Comissão Europeia afirma que vai pronunciar-se na terça-feira sobre o orçamento italiano após na semana passada ter levantado receios sobre o aumento previsto da dívida pública no próximo ano. O comissário europeu para a economia, Pierre Moscovici, disse esta segunda-feira que o importante é manter um "diálogo construtivo."

"O estado de espírito em que estava quando me desloquei a Roma é o mesmo que vou manter até ao final deste processo, uma posição de diálogo construtivo. A comissão não deseja uma crise entre Burxelas e Roma. A Comissão Europeia acredita que o lugar de Roma é no centro da Europa e no centro da zona euro, não fora. Há que respeitar isto e espero que os italianos respeitem a Europa", disse Moscovici numa entrevista a uma rádio francesa.

Respondendo a uma carta recebida da comissão europeia na semana passada , o ministro italiano da economia, Giovanni Tria, afirmou esta segunda-feira que o orçamento italiano não constitui um risco para a estabilidade financeira de Itália ou de outros países da União Europeia. Tria prometeu ainda não aumentar mais o défice nos próximos anos.

De acordo com as regras europeias, a Comissão Europeia tem até dia 29 de outubro para decidir se aceita ou rejeita o orçamento italiano.

Na carta enviada às autoridades europeias, Tria reconhece que o aumento do défice para 2,4% do PIB viola as regras do Pacto de Estabilidade e Crescimento mas justificou a decisão dizendo que o governo tinha que responder aos níveis de crescimento anémico que desde há anos se registam no país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

“Podem mandar 12 cartas até ao Natal” que o Orçamento não muda"

Comissão Europeia quer diálogo 'calmo e construtivo' com Itália

Orçamento italiano preocupa Bruxelas