Fabricante europeia de aviões anuncia dois meganegócios

Christian Scherer e Guillaume Faury, da Airbus, com a encomenda da ALC
Christian Scherer e Guillaume Faury, da Airbus, com a encomenda da ALC Direitos de autor AP Photo
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Airbus revela encomendas para mais de 360 aeronaves, incluindo a venda das primeiras sete da nova linha de carga A350F

PUBLICIDADE

Airbus reentra forte no mercado aéreo e, no espaço de pouco mais de 24 horas, anuncia dois meganegócios, no decorrer do Dubai Air Show.

Esta segunda-feira, a fabricante europeia revelou a encomenda de 111 aviões pela Air Lease Corporation (ALC), de Los Angeles.

A empresa norte-americana comprometeu-se a adquirir sobretudo modelos A321neo e A220, mas torna-se também no primeiro cliente da nova linha de carga da Airbus, o A350F, um avião moderno com reduzidas emissões poluentes, já ao nível das exigências para 2027, e capacidade transportar 109 toneladas num percurso de 8.700 quilómetros.

A encomenda da ALC inclui sete aeronaves A350F, além de 55 A321neo, 25 A220-300, 20 A321XLR e quatro A330neo.

A encomenda cinge-se para já a um contrato de promessa de compra que deverá ser finalizado nos próximos meses e que irá fazer da ALC um dos maiores clientes na carteira da rival da Boeing, com a maior encomenda da linha A220.

Até à data, a ALC já comprou um total de 496 aeronaves Airbus, revelou a fabricante europeia.

No domingo, primeiro dia do Dubai Air Show, a Airbus já tinha revelado uma encomenda de 255 aviões da linha a321neo emitida pelo grupo Indigo Partners, que é accionista por exemplo da Frontier (EUA), da Wizz Air (Hungria), da Volaris (México) e da Jetsmart (China e Argentina).

Os dois negócios revelam-se um impulso importante para a linha de produção da Airbus, numa altura em que o setor ainda agoniza com o impacto da pandemia nas viagens aéreas e as limitações da luta contra o aquecimento global também ameaçam afetar a retoma do setor.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Airbus cancela encomenda de 5,5 mil milhões à Qatar Airways

Ataques ucranianos às refinarias de petróleo russas: qual é o impacto?

Onde é que na Europa existe maior desigualdade de riqueza?