EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Tudo a postos para a Berlinale 2015

Tudo a postos para a Berlinale 2015
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Pela segunda vez na história, a Berlinale abre com um filme realizado por uma mulher. A honra cabe à espanhola Isabel Coixet e ao seu "Nobody Wants the Night".

PUBLICIDADE

Contagem decrescente para a Berlinale. A 65.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim arranca esta quarta-feira, dia 5 de Fevereiro, mas a corrida às bilheteiras já começou.

Nas próximas duas semanas, cerca de 400 filmes dos mais diferentes géneros vão passar pela capital alemã. O Urso de Ouro é o prémio mais desejado, mas o festival é também um grande mercado para promover produções que nem sempre chegam ao grande público.

Os fãs mal podem esperar:
“É um festival para cinéfilos, onde podemos assistir a um filme sentados ao lado dos actores. É estar ao mesmo nível das estrelas de cinema e assistir às antestreias em conjunto”.

Na conferência de imprensa de apresentação, o director do festival levantou o véu sobre a edição 2015 da Berlinale:

“Voltamos a ter uma mistura de realizadores consagrados com jovens promessas da arte, que vêm apresentar os seus primeiros trabalhos à Berlinale”, afirmou Dieter Kosslick.

Pela segunda vez na história, a Berlinale abre com um filme realizado por uma mulher. A honra cabe à espanhola Isabel Coixet e ao seu “Nobody Wants the Night / Ninguém quer a Noite”.

Co-produzido por Espanha, França e Bulgária, é um filme “sobre mulheres corajosas e homens ambiciosos, que colocam tudo em jogo pelo amor e a glória”, pode ler-se na página do festival.

O norte-americano Darren Aronovsky é, este ano, o presidente do júri da Berlinale. 19 filmes estão em liça para o Urso de Ouro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os grandes filmes dos Prémios do Cinema Europeu 2023

Monica Bellucci leva Maria Callas ao Festival de Cinema de Salónica

Realizador alemão Wim Wenders recebe Prémio Lumière em Lyon