EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

A masterclass da realizadora Lone Scherfig em Istambul

A masterclass da realizadora Lone Scherfig em Istambul
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A masterclass de Lone Scherfig foi um dos destaques da edição 2015 do Festival de Cinema de Istambul. A realizadora dinamarquesa de 55 anos teve

PUBLICIDADE

A masterclass de Lone Scherfig foi um dos destaques da edição 2015 do Festival de Cinema de Istambul. A realizadora dinamarquesa de 55 anos teve imenso sucesso graças ao filme “Uma outra educação”. A obra de 2009 foi nomeada para três Óscares, melhor filme, melhor argumento e melhor atriz.

“Uma outra educação” desenrola-se nos anos 60. O argumento gira em torno de uma jovem viva e inteligente que quer ir para Oxford, mas que acaba por se envolver com um homem mais velho, um playboy com rendimentos de origem duvidosa. O filme revelou o talento da atriz inglesa Carey Mulligan.

“A minha irmã é encenadora e ensinou-me algumas coisas sobre a direção de atores. É importante saber como eles trabalham e, às vezes, é importante dar-lhes autonomia. Trabalhei com várias centenas de atores e respeito o trabalho e a coragem deles, é um bom ponto de partida”, disse a realizadora.

“Se eu tivesse pertencido a uma geração mais jovem teria feito filmes com o telemóvel e partilharia o meu estado de espírito e as minhas preocupações com o público. Mas a minha geração tem a ver com uma tradição clássica em que é necessário ter uma câmara e uma equipa técnica. É verdade que as coisas se tornaram mais fáceis e mais rápidas. Eu diria que podemos usar essa tradição clássica para criar uma nova linguagem técnica porque a linguagem do cinema tem mudado de forma drástica nos últimos anos. Mas penso que é importante manter o cinema enquanto arte apesar de hoje qualquer pessoa poder fazer um filme”, sublinha Lone Scherfig.

“O clube de elite”, o último filme da realizadora, conta a história de dois alunos de Oxford, que querem fazer parte de um clube seleto e infame, onde as reputações podem ser construídas ou destruídas numa só noite.

“O maior desafio é decidir se o filme deve ou não ter uma mensagem política forte ou se deve dirigir-se ao grande público de uma forma mais harmoniosa. Essa foi a grande questão. No momento da montagem optámos por um fim imprevisível e mais político que pode agradar ao público”, afirmou Scherfig.

A realizadora dinamarquesa trabalha atualmente no próximo filme, uma comédia romântica que ainda não tem data de estreia anunciada.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Os grandes filmes dos Prémios do Cinema Europeu 2023

Monica Bellucci leva Maria Callas ao Festival de Cinema de Salónica

Realizador alemão Wim Wenders recebe Prémio Lumière em Lyon