EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

"Down to Earth". A exposição que convida a ter os pés na Terra

"Down to Earth". A exposição que convida a ter os pés na Terra
Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O museu Martin Gropius Bau, em Berlim, propõe uma reflexão sobre a sustentabilidade, através de uma imersão nas obras de mais de 50 artistas.

PUBLICIDADE

Como podemos mudar de forma sustentável o modo como trabalhamos, comemos, viajamos ou fazemos exposições?

O museu Martin Gropius Bau de Berlim está a propor uma mudança de comportamento mais permanente, que conduza a um mundo sustentável.

"Down to Earth" convida os visitantes a ter os pés no chão, confrontando-os, por exemplo, com uma poça de água e vestígios do que o homem deixa na terra.

"Estamos a viver neste mundo. Não podemos continuar como nos séculos XIX e XX, quando não vivíamos realmente na Terra, mas usávamo-la para ter acesso a recursos ilimitados, usávamos 'Gaia' para uso ilimitado", defende Tino Sehgal, um dos curadores da exposição.

Todas as obras estão expostas de forma a cumprir os requisitos da própria exposição, ser sustentável, porque, tal como reflete, Tino Sehgal, também ela emite dióxido de carbono, acrescentando que quando o diretor da exposição, Thomas Oberender, o convidou para participar, lhe respondeu que também teriam de olhar para o próprio consumo. 

De acordo com o curador, os não é utilizada "qualquer eletricidade" e "todos os envolvidos viajaram de comboio".

Tal como o maior sistema em que vivemos, o clima, também a exposição está em constante mudança, com vários eventos ao vivo.

"Down to Earth" convida à imersão nas obras de mais de 50 artistas e à reflexão sobre o mundo de todos, até 13 de setembro, em Berlim.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

São Paulo renova fachadas com arte

Safet Zec inaugura exposição sobre as vítimas do massacre de Srebrenica

"Cheirar" uma exposição é possível em Moscovo