EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Prémios do Cinema Europeu. Saiba que filmes estão a dar que falar

Prémios do Cinema Europeu. Saiba que filmes estão a dar que falar
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Frédéric PonsardEuronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Euronews mostra-lhe alguns dos filmes, realizadores e atores mais aclamados, que vão estar presentes no evento deste sábado.

PUBLICIDADE

Reykjavik vai acolher este sábado a entrega dos Prémios do Cinema Europeu. Entre os nomeados destaca-se uma diversificada visão do mundo trazida à luz por filmes como "Saint-Omer", da realizadora francesa e filha de pais senegaleses Alice Diop, ou "Holy Spider", da realizador dinamarquês de origem iraniana Ali Abassi.

Aclamado pela Academia Europeia de Cinema, **_"Holy Spider"_**recebeu quatro nomeações:Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Argumento e Melhor Atriz, este último ganho por Zar Amir Ebrahimi, forçada a fugir do próprio país, o Irão, há 15 anos.

"Holy Spider"

"Penso que a vantagem de um filme como este, quando se filma fora do Irão, é podermos desenvolvê-lo em camadas mais profundas, enquanto no Irão, devido à censura, nunca se pode realmente desenvolver uma história como esta. Na minha opinião, a sociedade iraniana vai mudar graças às mulheres, e é por isso que o governo, os homens têm tanto medo das mulheres", defende a atriz.

Um filme coproduzido pela Alemanha, a Suécia, a Dinamarca e França, onde fica patente a vocação europeia para contar histórias que quebram fronteiras, logo à partida para o próprio realizadorAli Abbasi.

À Euronews, o cineasta revelou não crer que "este filme seja mais ou menos iraniano por eu viver na Dinamarca, ou outro ator vive em França, e outro vir da Turquia, e ser filmado na Jordânia".

Outro filme em destaque é "Saint Omer", de Alice Diop, agora nomeada para Melhor Realizadora, após o último Festival de Veneza ter levado para casa o Leão de prata e o prémio de Melhor Primeiro Filme.

A longa-metragem baseia-se numa notícia que há dez anos fez correr tinta em França quando uma jovem mãe deixou o mar levar a filha de 15 meses, sem qualquer motivo aparente.

"Saint Omer"

Para a realizadora, que com esta obra, representa também França na corrida aos Óscares, o reconhecimento da história, centrada numa mulher negra, "carrega o universal e de certo modo este prémio é uma forma de consagração, de provar isto que para mim é eminentemente político: o corpo de uma mulher negra pode dizer o universal e falar a todas as mulheres e a todos os homens do mundo, quer sejam brancos, ou negros, e para mim isso é fundamental".

"Alcarràs"

A família e o ruralismo em Espanha estão no epicentro de "Alcarràs", uma longa-metragem nomeada para Melhor Filme e que valeu também a Carla Simón, vencedora do Urso de Ouro na Berlinale deste ano, a nomeação para Melhor Realizadora

"Corsage", de Marie Kreutzer, conta com três nomeações, para Melhor Filme, Melhor Atriz e Melhor Relaizador

"Corsage"

Fruto de uma coprodução entre Áustria, França, Alemanha e Luxemburgo, o filme conta a trágica história de "Sissi", a princesa austríaca, rebelde e feminista em pleno século XIX.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Produtores ucranianos recebem prémio Eurimages

Os grandes filmes dos Prémios do Cinema Europeu 2023

Monica Bellucci leva Maria Callas ao Festival de Cinema de Salónica