This content is not available in your region

Ambientalistas processam governo do Sri Lanka

euronews_icons_loading
Ambientalistas processam governo do Sri Lanka
Direitos de autor  Eranga Jayawardena/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Um grupo de ambientalistas e pescadores processou o governo do Sri Lanka e os responsáveis do navio porta-contentores que ardeu no mar durante quase duas semanas antes de afundar.

O navio estava carregado com plástico e produtos tóxicos e os peritos internacionais preparam-se para lidar com um possível derrame de petróleo.

As autoridades estão em alerta e descartam, para já, o cenário mais pessimista.

Nirmal Silva, da Autoridade Portuária do Sri Lanka, sublinha a tese dos especialistas que estiveram no local e que acreditam que o petróleo ardeu, mas diz que ainda não é possível confirmar a informação. Fala em sorte e lembra que “até agora, quase 36 horas desde que o navio se afundou e a parte posterior caiu, não há indícios de um derrame”.

O MV X-Press Pearl, registado em Singapura, tem vindo a afundar-se lentamente no Oceano Índico desde quarta-feira, depois de um incêndio que se prolongou por 13 dias.

Toneladas de microplásticos do navio inundaram 80 quilómetros de praia que ficou interdita para os residentes. A pesca na zona também foi proibida.

A contestação legal acontece depois do destacamento de peritos estrangeiros para ajudar o Sri Lanka a conter uma potencial fuga de petróleo dos destroços queimados.