EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Eliminação da energia nuclear entra na fase final na Alemanha

Eliminação da energia nuclear entra na fase final na Alemanha
Direitos de autor AP Photo/Heribert Proepper
Direitos de autor AP Photo/Heribert Proepper
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Três centrais serão desativadas a 31 de dezembro.

PUBLICIDADE

A eliminação da energia nuclear na Alemanha entra na penúltima fase no final do ano. Três centrais serão desativadas a 31 de dezembro. Uma delas é a simbólica central de Brokdorf, no norte do país. É encerrada à meia noite. Com o ano novo, vira-se uma página para a região e para os habitantes, mas principalmente para o operador da central que não consegue compreender a decisão.

A população que nunca deixou de denunciar os riscos associados à energia nuclear. Em 2011, o governo federal liderado por Angela Merkel reconsiderou o prolongamento da vida operacional das centrais nucleares alemãs, que tinha sido decidido apenas alguns meses antes. Os oito reatores mais antigos foram desligados imediatamente. Os nove restantes serão desligados por etapas até 2022.

Juntamente com a central de Brokdorf, outras 2 instalações devem ser encerradas nesta sexta-feira. As três últimas estarão fora de serviço o mais tardar no final do próximo ano. A eliminação progressiva da energia nuclear na Alemanha estará concluída onze anos após o seu início.

Mas a era nuclear ainda não acabou. O dispendioso desmantelamento progressivo das centrais ainda vai demorar vários anos. Enquanto isso, a Alemanha aposta na expansão das energias renováveis. Em 2030, 80% da eletricidade do país virá de turbinas eólicas, painéis solares ou instalações de biogás.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ondas de calor mortais em junho? Cientista climático explica por que razão o clima extremo está a assolar a Grécia

Sul da Europa está a sofrer onda de calor. Termómetros chegam aos 40 graus

Número de mortos aumenta com vagas de calor. Será este o verão mais quente da Europa?