EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Cidade alemã vota para matar todos os pombos num referendo invulgar

A cidade alemã de Limburg an der Lahn, farta da sua população de pombos, está a recorrer a medidas letais.
A cidade alemã de Limburg an der Lahn, farta da sua população de pombos, está a recorrer a medidas letais. Direitos de autor Canva
Direitos de autor Canva
De  Euronews Green
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os ativistas afirmam que o plano de recrutar um falcoeiro para atrair as aves e matá-las é inaceitável.

PUBLICIDADE

Os pombos devem ser um dos animais mais mal-amados pelos humanos. As aves que povoam as praças europeias descendem de pombas domesticadas há cerca de 10.000 anos e, por isso, são invulgarmente descontraídas em relação à presença de pessoas.

No entanto, o sentimento não é mútuo. Estas aves gregárias tendem a provocar irritação e repugnância, bem como instintos mais carinhosos naqueles que estão dispostos a partilhar as suas migalhas.

Mas a relação entre pombos e seres humanos tomou um rumo mais drástico numa cidade alemã.

Limburg an der Lahn, no Estado de Hesse, na Alemanha Ocidental, acaba de votar a exterminação da sua população de 700 pombos.

Foi realizado um referendo a 9 de junho - no mesmo dia das eleições europeias - depois de a decisão da Câmara Municipal de matar as aves em novembro de 2023 se ter revelado controversa.

Pouco mais de 53% dos residentes que votaram no domingo aprovaram o abate dos pombos, refere Der Spiegel, com um total de 7.530 votos "sim".

Como é que os pombos de Limburgo vão ser mortos?

"O resultado de hoje era imprevisível para nós. Os cidadãos fizeram uso do seu direito e decidiram que os animais devem ser abatidos por um falcoeiro", disse o presidente da câmara, Marius Hahn (SPD), ao site de notícias alemão.

Este foi o método inicialmente proposto pelo conselho no ano passado, e a questão colocada aos eleitores foi simplesmente se a decisão se devia manter ou não.

Mais precisamente, o falcoeiro atrai as aves para uma armadilha, bate-lhes na cabeça com um pau de madeira para as atordoar e depois parte-lhes o pescoço.

Os ativistas dos direitos dos animais ficaram horrorizados quando o plano foi anunciado. "Vivemos em 2023, não podemos matar animais só porque nos incomodam ou são um incómodo. Isso não é aceitável", disse Tanya Muller, gestora do projeto de abate de pombos da cidade de Limburgo, à Sky News do Reino Unido, no ano passado.

O abate deverá ser efectuado ao longo dos próximos dois anos.

Será o abate de pombos uma forma eficaz de reduzir as populações?

Os críticos afirmam que, para além de ser cruel, o abate de pombos não é realmente eficaz, uma vez que as aves que restam se reproduzem e repõem a população.

Alguns estudos mostram que o número de pombos pode mesmo aumentar após um abate.

Foi o que aconteceu em Basileia, na Suíça, que tinha uma população de pombos de cerca de 20.000. De 1961 a 1985, a cidade matou cerca de 100.000 pombos por ano, mas a população manteve-se estável, refere o site de notícias local.

Um grupo chamado Pigeon Action encontrou uma solução alternativa, agora conhecida como o "modelo de Basileia", em que os cidadãos eram avisados para não alimentarem os animais. Foram também instalados pombais para que os ovos pudessem ser facilmente retirados.

PUBLICIDADE

Como resultado, a população de pombos de Basileia diminuiu 50% em quatro anos.

De que outra forma estão as cidades europeias a resolver os seus problemas com os pombos?

A cidade bávara de Augsburgo encontrou uma solução semelhante. Uma organização local de proteção dos animais supervisiona vários pombais, trocando ovos novos por chupetas para manter o número de pombos sob controlo.

Muitas outras cidades alemãs são afetadas (ou abençoadas, dependendo do ponto de vista) por estas aves cinzentas.

Kaiserslautern também está a experimentar o "modelo de Augsburgo", com novas torres de pombos onde as aves são realojadas. Foram também instalados pombais ou locais de nidificação controlada em Ludwigshafen, Mainz, Pirmasens e Zweibrücken.

PUBLICIDADE

No Reino Unido, como noutros locais, as aves de rapina foram recrutadas para eliminar os pombos. Mas isso pode significar que os excrementos inestéticos são trocados pela visão mais horrível das carcaças.

As proibições de alimentação de pombos são legais?

Outras cidades tentaram implementar proibições de alimentação de pombos, mas estas revelaram-se controversas. Em 2021, o responsável pelo bem-estar dos animais em Berlim pediu um parecer jurídico sobre a alimentação dos pombos a um advogado e a um veterinário.

Estes concluíram que as cidades não podem proibir a alimentação de pombos - e são mesmo obrigadas a cuidar dos animais, uma vez que estes são descendentes de uma espécie doméstica negligenciada e não de animais selvagens.

"Mesmo em caso de escassez de alimentos, os pombos urbanos põem ovos em grande número", afirma o parecer jurídico. "As proibições de alimentação não conduzem, portanto, à diminuição das populações, mas apenas ao empobrecimento.

PUBLICIDADE

"A miséria em números: O conselho consultivo para o bem-estar dos animais do Estado da Baixa Saxónia estima que a esperança de vida dos pombos urbanos subnutridos é de dois a três anos; em condições saudáveis, seria de doze a quinze anos. Como as batatas fritas e o pão ralado não satisfazem as necessidades dos pombos, os animais morrem lentamente de fome".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rio do Equador obtém o direito de não ser poluído em processo judicial histórico

Cientistas descobrem que hipopótamos podem "voar"

Quais os melhores países da Europa para ir de bicicleta para o trabalho?