"Europe Weekly": dívida da Grécia e elisão fiscal europeia em destaque

"Europe Weekly": dívida da Grécia e elisão fiscal europeia em destaque
De  Isabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Nesta edição do "Europe Weekly", que faz uma revisão da atualidade europeia da semana, voltamos a dar destaque à tentativa da Grécia de renegociar a dívida. Mas também abordamos a elisão fiscal das mu

PUBLICIDADE

Nesta edição do “Europe Weekly”, que faz uma revisão da atualidade europeia da semana, voltamos a dar destaque à Grécia.

Mal tomou posse, o novo primeiro-ministro Alexis Tsipras começou a correr as capitais europeias em busca de apoio para a renegociação da dívida grega.

Mas, apesar dos sorrisos e calorosos apertos de mão, é difícil saber se encontrou aliados. Temos uma reportagem sobre a sua visita a Bruxelas e outra sobre o périplo do ministro das Finanças, Yanis Varoufakis.

Além da questão dos 320 mil milhões de euros da dívida grega, o problema principal é saber como é que a Grécia se vai financiar nas próximas semanas. O Banco Central Europeu cortou o acesso dos bancos gregos a todos os instrumentos de financiamento.

A correspondente da euronews, Audrey Tilve, entrevistou Etienne de Callatay, economista-chefe do Bank Degroof, em Bruxelas, sobre este desenvolvimento.

“O problema grego prende-se, em parte, com um tecido económico frágil e isso é evidente na ausência de retoma das exportações, apesar dos salários terem descido. Mas a Grécia tem também problemas estruturais ao nível da qualidade da edução, das práticas fiscais, nomeadamente a baixa capacidade de cobrar impostos. Em todas estas questões, os partidários do Syriza poderiam obter muita simpatia por parte de outros governos. Se o foco tivesse sido esse, penso que haveria uma abordagem muito diferente”, é um dos extratos da entrevista que pode ver na íntegra em vídeo.

Finalmente, revemos a reportagem sobre elisão fiscal. O Luxemburgo vai sentir-se um pouco menos sozinho. Esta semana, a Comissão Europeia abriu uma nova investigação sobre a prática de regimes fiscais, desta vez relativa à Bélgica.

Estes acordos fiscais que permitem às multinacionais pagar impostos mínimos foram descobertos com o chamado escândalo Luxleaks. Uma comissão do Parlamento Europeu vai analisar os casos, mas o problema é que terá uma margem de manobra muito limitada.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estado da União: Von der Leyen candidata à reeleição, sanções e crise de Rafah

"Estado da União": Pressão para autonomia europeia na defesa

"Estado da União": Fim da lei dos pesticidas, nova meta na ação climática