EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Elementos da comunidade muçulmana de Bruxelas demarcam-se de ideais terroristas

Elementos da comunidade muçulmana de Bruxelas demarcam-se de ideais terroristas
Direitos de autor 
De  Pedro Sacadura com Charles Salamé
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Longe de se reverem nos ideais terroristas, vários elementos da comunidade muçulmana de Bruxelas fazem questão de se demarcar e de se mostrar

PUBLICIDADE

Longe de se reverem nos ideais terroristas, vários elementos da comunidade muçulmana de Bruxelas fazem questão de se demarcar e de se mostrar indignados com os ataques de 22 de março na capital belga.

A religião que professam, dizem, é pacífica.

“Aqueles que fizeram isto não são muçulmanos. A religião islâmica é uma religião de paz e de amor. Não tem, por isso, nada a ver como o que aconteceu”, disse, em entrevista à Euronews, uma muçulmana.

Na mesma linha, o grande Imã da Mesquita de Bruxelas, Mohamed Galaye Ndiaye, faz questão de tornar pública a posição de repúdio face aos ataques cometidos em nome do Islão: “Não bastam condenações. É preciso avançar mais rápido. Agir. É por isso que começámos com este ato simbólico. Haverá um programa sobre radicalização, sobre fanatismo religioso neste centro islâmico.”

Os atentados, no aeroporto de Zaventem e na estação de metro de Maelbeek, provocaram a morte de 31 pessoas e fizeram 270 feridos.

À medida que prosseguem as investigações, as autoridades belgas enfrentam acusações de leniência e são apontadas por falharem em desenvolver uma rede de fontes no seio das comunidades onde os terroristas florescem.

Charles Salamé, euronews – Sexta-feira, antes da oração das 12h00, cerca de duas mil pessoas são esperadas na Grande Mesquita de Bruxelas para expressarem em conjunto a revolta contra os acontecimentos recentes na capital belga.”

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Massimiliano Allegri despedido da Juventus

União Europeia bane quatro meios de comunicação social por difundirem propaganda russa

Estado da União: sol em Ancara, escuridão em Tbilisi