EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Irão: uma revolta como a de 1979?

Irão: uma revolta como a de 1979?
Direitos de autor 
De  Isabel Silva
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
PUBLICIDADE

Os protestos no Irão estão a ser classificados por alguns iranianos expatriados na Europa como expressão do descontentamento popular pelas dificuldades económicas. Ou seja, um fenónemo distinto do movimento político contra o regime, em 2009, devido a suspeitas de fraude eleitoral.

“Entre as 21 pessoas mortas pela polícia desde o início dos protestos, a maioria delas são filhos de trabalhadores ou desempregados. Pedem, simplesmente, pão, liberdade e um teto sobre as suas cabeças”, explicou, à euronews, Reza Moini, um jornalista membro da organização Repórteres sem Fronteiras, exilado em Paris.

Para o jornalista, estas manifestações, espalhadas por cerca de 90 cidades, têm mais em comum com a revolução de 1979, num período de acentuada contração económica.

“A semelhança entre estes protestos e a revolução de 1979 é a escala dos mesmos que, tal como há 39 anos, se espalharam por todo o país”, acrescentou.

The EU’s tepid response to the #IranProtests is neither a robust defense of Western values nor is it in Europe’s interest. The regime isn’t only a menace to its own people but also to its neighbors. My take in Newsweek</a> <a href="https://t.co/Q7ctzEpE5g">https://t.co/Q7ctzEpE5g</a></p>— Daniel Schwammenthal (DSchwammenthal) January 4, 2018

A União Europeia disse que observa atentamente a situação, que surge cerca de dois anos e meio após ter sido assinado o acordo nuclear. Um marco político que visa, também, levar mais investimento do Ocidente àquele país.

Anvar Mir Sattari, opositor iraniano exilado em Bruxelas, explicou à euronews que a União Europeia não pode interferir demasiado: “Sou membro do Partido dos Verdes, na Bélgica e a nível europeu, mas a independência do Irão é muito importante para mim”.

“Devem ser os próprios iranianos a decidirem sobre o seu futuro, sem qualquer intervenção da Europa ou de outros países. Os partidos políticos europeus ajudaram-nos muito até agora, mas fazer mais do que isso pode ser visto como uma interferência política”, acrescentou.

You can see through a government’s pretensions to serve its people when it tries to prevent them from speaking with each other: #IranProtestshttps://t.co/uTC74wZD9P

— Kenneth Roth (@KenRoth) January 4, 2018

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Europeus "ignoram" protestos no Irão para preservar acordo

Pelo menos 85 migrantes resgatados perto de Dover

Grupo de ONG alemãs pede proibição da AfD