This content is not available in your region

Orçamento europeu será muito abalado pelo Brexit

Access to the comments Comentários
De  Isabel Silva  com AFP
Orçamento europeu será muito abalado pelo Brexit

A Comissão Europeia já está a preparar o orçamento que vai vigorar entre 2021 e 2028 e alerta os Estados-membros para a necessidade de fazer face ao Brexit, com perdas estimadas em 12 mil milhões de euros.

“Os nossos amigos britânicos vão deixar-nos na manhã de 30 de março de 2019. Até lá teremos de fazer o nosso melhor para encontrar os meios para fazer face à perda de vários milhares de milhões de euros que eram pagos por um país contribuinte líquido”, avisou Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, durante uma conferência em Bruxelas, segunda-feira.


Às habituais áreas prioritárias de fundos de coesão e para a agricultura, junta-se agora maior enfoque nas despesas com defesa, segurança, migração e alterações climáticas.

Jean Arthuis é um eurodeputado francês e preside a comissão para o Orçamento do Parlamento Europeu, defendendo que “o objetivo de aumentar o orçamento da União Europeia não passa por aumentar a despesa pública europeia em geral”.

“É preciso partilhar soberania em várias áreas através da constituição coletiva dos meios financeiros, de maior eficiência e de melhor controlo das das despesas públicas”, disse o político liberal francês.


Contudo, o comissário europeu para o Orçamento, Gunther Oettinger, propôs aumentar ligeiramente o atual plafond de 1% da riqueza nacional, que é a fórmula para determinar a contribuição de cada um dos Estados-membros.

A Comissão deve colocar as suas propostas concretas na mesa até final de maio, para ter cerca de um ano de negociações com o Parlamento e o Conselho europeus e chegar a um acordo antes das eleições europeias (junho de 2019).

O orçamento plurianual para o período 2014-2020 ronda os 900 mil milhões de euros.