EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

"Breves de Bruxelas": Ébola, terrorismo e 112

"Breves de Bruxelas": Ébola, terrorismo e 112
Direitos de autor REUTERS/Baz Ratner
Direitos de autor REUTERS/Baz Ratner
De  Isabel Marques da Silva
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Organização Mundial de Saúde pede ajuda à comunidade internacional para afrontar a epidemia do Ébola e um dos seus especialistas veio ao Parlamento Europeu. Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas".

PUBLICIDADE

Em média, 80 pessoas por semana são contaminadas pelo vírus Ébola na República Democrática do Congo. A epidemia no leste do país não está a ceder aos novos tratamentos e às vacinas administrados a mais de 200 mil pessoas.

A Organização Mundial de Saúde pede ajuda à comunidade internacional e um dos seus especialistas veio ao Parlamento Europeu.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade comunitária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • As operadoras de telecomunicações estão obrigadas a permitir chamadas para o número de emergência 112 mesmo que a pessoa não tenha saldo no telefone. O Tribunal de Justiça da União Europeia pronunciou-se no seguimento de uma queixa vinda da Lituânia. Uma operadora bloqueou as dez tentativas de chamada de uma jovem que acabou por ser assassinada.
  • O registo judicial antiterrorismo entrou em vigor em toda a União Europeia. A gestão cabe à Eurojust - Unidade de Cooperação Judicial da União Europeia, com sede em Haia (na Holanda). O objetivo é acelerar os procedimentos judiciais para combater o terrorismo e melhorar a segurança em todo o território da União.
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

OMS decreta ébola na RDC como emergência sanitária mundial

PE cria novas regras contra promoção do terrorismo na Net

Naufrágios no sul de Itália fazem pelo menos 11 mortos e dezenas de desaparecidos