EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Pedófilo belga Marc Dutroux sujeito a nova avaliação psiquiátrica

Pedófilo belga Marc Dutroux sujeito a nova avaliação psiquiátrica
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O homem de 62 anos foi condenado a prisão perpétua depois de sequestrar, violar e matar várias crianças e adolescentes, que enterrou no quintal.

PUBLICIDADE

A justiça belga aprovou a realização de um novo exame psiquiátrico de Marc Dutroux, agora com 62 anos. Condenado por pedofilia e homicídio, Dutroux está preso há 23.

O belga deve será examinado por um painel de especialistas em psiquiatria para determinar se pode ou não voltar a cometer os mesmos crimes. Para além disso, querem perceber que efeitos tiverem os 23 anos que passou detido numa cela solitária.

A decisão do tribunal belga foi anunciada esta segunda-feira, depois de um requerimento feito pelo advogado de Marc Dutroux, Bruno Dayez. Em entrevista à Euronews, Dayez explicou que espera "que os especialistas esclareçam sobre a sua personalidade, sobre o facto de ainda poder ser perigoso uma vez que uma possível saída em liberdade condicional está dependente dessa avaliação, de já não considerado um perigo. A partir daí poderemos estabelecer condições para que não volte a representar uma ameaça para ninguém."

Dutroux foi condenado por violação de menores em 1989. Entre 1995 e 1996 foi posto em liberdade condicional, graças ao bom comportamento na prisão, mas nesse período voltou a cometer os mesmos crimes.

Após a nova detenção, em 96, cerca de 300 mil pessoas saíram às ruas para prestar homenagem às vítimas, naquela que foi uma das maiores manifestação da história da Bélgica.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comissão deixa aviso a França, Itália e seis outros países sobre o défice orçamental

"Temos de fechar os céus de Kharkiv", diz Presidente da Câmara

França: extrema-direita quer maioria absoluta nas legislativas antecipadas