EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

"Coronabonds" dividem líderes europeus

"Coronabonds" dividem líderes europeus
Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Distância física na reunião, distância também nas posições: Alemanha e outros países contra a emissão de dívida comum.

PUBLICIDADE

Se esta cimeira dos líderes da União Europeia decorreu à distância, por videoconferência, isso foi uma metáfora perfeita para a distância que separa muitos deles, também em termos de posições. O tema das chamadas coronabonds foi chutado para o Eurogrupo.

Explica a presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen: "Foi dada uma tarefa ao Eurogrupo e isso ficou muito claro nas conclusões. Dentro de duas semanas, o Eurogrupo deve aparecer com uma proposta".

O presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, é um dos maiores defensores das coronabonds ou eurobonds - obrigações lançadas coletivamente pelos Estados-Membros.

Enquanto a epidemia de COVID-19 faz centenas de vítimas todos os dias, a perspetiva de uma crise económica sem precedentes também se agrava. As eurobonds seriam uma forma de partilhar o fardo da dívida, apoiadas por nove países, incluindo os mais atingidos pelo vírus.

Diz o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel: "Precisamos de uma estratégia de recuperação e temos de usar todas as ferramentas ao nosso dispor. O orçamento europeu é uma dessas ferramentas, mas o melhoramento do mercado comum é também algo que podemos usar".

Um conjunto de países, com a Alemanha à cabeça, mantém-se contra as coronabonds.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

PM palestiniano quer "vaga" de países a reconhecer o Estado da Palestina

Macron visita a Alemanha. A primeira visita de Estado de um Presidente ao país em 24 anos

Extrema-esquerda francesa pede ao governo que reconheça o Estado da Palestina