CE propõe criação de norma europeia para obrigações "verdes"

CE propõe criação de norma europeia para obrigações "verdes"
Direitos de autor AFP/AFP
De  Euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bruxelas quer garantir “projetos ambientais legítimos”

PUBLICIDADE

Em nome do compromisso com um futuro mais verde, a Comissão Europeia apresentou uma nova Estratégia de Financiamento Sustentável que contempla um alinhamento com instituições financeiras para tornar o continente neutro em carbono em 2050.

De modo a garantir "projetos ambientais legítimos" na União Europeia (UE), o executivo comunitário propôs a criação de uma norma europeia para as obrigações "verdes."

A regulação dá aos emitentes de dívida - privados ou soberanos - as diretrizes a serem seguidas para obter o selo de aprovação da UE.

"A razão de ser desta norma europeia para as obrigações verdes é exatamente o combate ao greenwashing (propaganda enganosa em matérias ambientais) porque existe no mercado, os investidores não gostam de ser enganados e não deveriam ser enganados. A nova norma será muito clara sobre o que é e o que não é sustentável", sublinhou a comissária Mairead McGuinness, com a pasta dos Serviços Financeiros, Estabilidade Financeira e União dos Mercados de Capitais​.

O eurodeputado socialista holandês, Paul Tang, que pediu um "estratégia ambiciosa" numa carta enviada à Comissão Europeia em junho, aguarda com impaciência para perceber se a estratégia será realmente a força motriz da sustentabilidade até porque tem uma base voluntária: “Espero sinceramente que mesmo uma norma voluntária ajude a melhorar muito o mercado com interesse em projetos de investimento sustentável. Significa que, depois de passar no teste e adquirir a classificação de padrão de obrigações verdes, o financiamento ficará mais barato. "

As obrigações verdes já são usadas para obter financiamento em setores como a produção e distribuição de energia, habitação eficiente em termos de recursos e infraestrutura de transporte com baixo teor de carbono.

Alguns eurodeputados ecologistas entendem que não basta ampliar o investimento se nada for feito para deter atividades nefastas para o ambiente e se não se considerar a dimensão social.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Stellantis vai investir 30 mil milhões de euros para eletrificar veículos

UE quer alargar as sanções contra o Irão na sequência do ataque a Israel

Prémio LUX do Público entregue ao filme "A sala dos professores"